A Assembleia Geral das Nações Unidas aprovou nesta segunda-feira (21/11), com um número recorde de votos a favor, uma resolução que condena as violações dos direitos humanos no Irã.

A resolução obteve 86 votos a favor, seis a mais do que a do ano passado, 32 contra (doze a menos) e 59 abstenções. A Assembleia Geral também aprovou uma condenação da situação dos direitos humanos na Coreia do Norte e em Mianmar.

Proposta pelo Canadá, a resolução condenou o Irã por “tortura e tratamentos ou punições cruéis, desumanas ou degradantes, incluindo açoites e amputações”. Também lamentou um “crescimento dramático” no uso da pena de morte, particularmente contra as minorias e menores de 18 anos.

Um representante do governo iraniano, Mohammad Javad Larijani, conselheiro do líder supremo do país, considerou a resolução “maliciosa”.