Geral

Nova Lima é a região da Capital com mais notificações de dengue neste início de ano

A região teve 132 casos registrados até semana passada. Moradores do bairro reclamam dos terrenos abandonados e da ausência de visitas dos agentes de saúde e acabam improvisando soluções

Arquivo Publicado em 15/03/2011, às 11h45

None
152935849.jpg

A região teve 132 casos registrados até semana passada. Moradores do bairro reclamam dos terrenos abandonados e da ausência de visitas dos agentes de saúde e acabam improvisando soluções

Segundo dados da Secretaria Municipal de Saúde, Campo Grande registrou 2.234 notificações de casos de dengue até dia 11 de março. Nos bairros, a “liderança” é da região do Nova Lima, com 132 registros.


Moradores do bairro reclamam dos terrenos abandonados e da ausência de visitas dos agentes de saúde.


A idosa Geiza Martins Athayde, de 66 anos, reclama que a última vez que um agente visitou sua casa foi dezembro do ano passado. “Já peguei dengue há três anos, e tenho medo, sei que se ficar com dengue não aguento”, conta a moradora da Rua Helena Beiruqui.


Ao lado da casa de dona Geiza fica um terreno baldio, que causa revolta na idosa. “Com essa chuvarada o mato aumentou muito, é um prato cheio para o mosquito da dengue”.


Com o aumento da chuva e o medo da doença, os moradores têm que se virar para cuidar da saúde. Ivan Athayde, 22, filho da dona Geiza, cobriu uma fossa em frente de sua casa com uma garrafa pet.


“Foi um agente que me deu essa ideia, falou que assim ia evitar de vazar sujeira pela rua”, comentou Ivan, morador da rua Alberto Veiga.


Vizinha do jovem, Ivonete Cavaleiro, 35, está grávida e preocupada. “Comprei um mosquiteiro, aqui tem muita dengue, temos que cuidar da saúde”, afirmou Ivonete.


Lista da dengue


Nos números de casos da dengue, o Nova Lima é seguido pela região das Moreninhas (102 notificações) e Aero Rancho (também 102 casos).


Já levando em conta a incidência da doença, calculada na relação entre notificações e número de habitantes, o bairro Noroeste é o mais afetado, com uma margem de 992 casos a cada 100 mil habitantes. A região tem 38 notificações e uma população de 3.828 pessoas.


Ainda na incidência, o Noroeste é seguido pela região do Núcleo Industrial (29 casos e incidência de 919) e Jardim Centro-Oeste (85 notificações e 823 em incidência).


No quesito incidência, por terem maiores populações, os líderes de notificações tem índices baixos. A região do Nova Lima, com 25.175 habitantes, tem incidência de 524. As Moreninhas, uma das mais populosas região da cidade, fica com índice 378; e Aero Rancho, 37.501 habitantes, tem incidência de 271.


Itanhangá e São Bento, regiões nobres da Capital, são as únicas sem nenhum registro de casos de dengue.

Jornal Midiamax