Geral

Nomeações no segundo escalão do governo geram expectativas em partidos aliados

Embora o governo pretenda substituir mais de quarenta cargos de segundo e terceiro escalão, ainda no primeiro semestre, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, alertou que a expectativa dos partidos aliados é maior que os ajustes que serão feitos. “Nós não iremos atender a toda a expectativa. Os ajustes serão os absolutamente necessários. Não […]

Arquivo Publicado em 21/06/2011, às 22h14

None

Embora o governo pretenda substituir mais de quarenta cargos de segundo e terceiro escalão, ainda no primeiro semestre, a ministra de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, alertou que a expectativa dos partidos aliados é maior que os ajustes que serão feitos.


“Nós não iremos atender a toda a expectativa. Os ajustes serão os absolutamente necessários. Não tem cabimento achar que haverá trocas significativas. Serão meramente ajustes. Este não é um governo de oposição, é de continuidade”, disse a ministra, que vem se reunindo com os partidos da base aliada desde a semana passada para identificar os pleitos.


Ideli disse que os ajustes estão sendo discutidos com os ministros das respectivas áreas. De acordo com ela há cargos a serem trocados no Ministério da Fazenda e de Minas e Energia. Além disso, há conversas sobre substituições em cargos de diretorias de bancos, no sistema elétrico e na Petrobras.


Segundo a ministra, os partidos aliados também terão que ser mais compreensivos com o governo em relação aos pedidos de liberação de recursos para emendas orçamentárias. “Todos os partidos têm uma expectativa, [são] emendas, solicitações de cargos. Nós estamos acolhendo e vamos buscar [atender] dentro das possibilidades”, disse a ministra.

Jornal Midiamax