Geral

Navio Celso Furtado marca retomada da indústria naval, avalia Dilma

A presidenta Dilma Rousseff destacou nesta segunda-feira (28) a retomada de produção da indústria naval, com a construção do navio Celso Furtado. Na última sexta-feira, ela esteve no Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ) para fazer a entrega da embarcação, que será usada para transportar 56 milhões de litros de combustível. “Esse navio é um marco […]

Arquivo Publicado em 28/11/2011, às 12h36

None

A presidenta Dilma Rousseff destacou nesta segunda-feira (28) a retomada de produção da indústria naval, com a construção do navio Celso Furtado. Na última sexta-feira, ela esteve no Estaleiro Mauá, em Niterói (RJ) para fazer a entrega da embarcação, que será usada para transportar 56 milhões de litros de combustível.


“Esse navio é um marco muito importante na retomada da nossa indústria naval. Estamos agora fabricando navios, fazendo investimentos e criando empregos aqui no Brasil”, salientou durante o programa Café com a Presidenta, transmitido hoje por emissoras de rádio de todo o país.


Para a presidenta, o setor é estratégico. “Os estaleiros empregam 60 mil trabalhadores, tanto no Rio de Janeiro quanto em Pernambuco, no Amazonas, no Rio Grande do Sul, na Bahia, em São Paulo e em Santa Catarina”, disse ao acrescentar que a indústria naval também faz encomendas de peças e equipamentos em fábricas de outros estados.


Segundo Dilma, este ano centenas de embarcações e cinco novos estaleiros estão sendo contratados para começar a construir navios, plataformas e sondas. Só o Promef (Programa de Modernização e Expansão da Frota) da Petrobras prevê para os próximos anos a contratação de 49 navios.


“A grande demanda por plataforma, por sonda que existe em todo o mundo é dada pela Petrobras por causa da exploração do pré-sal. Não só do pré-sal, mas do pós-sal também, ou seja, de todo o petróleo que há no Brasil”, explicou a presidenta.


Além da cadeia produtiva do petróleo, o país terá “uma sólida e complexa indústria de fornecimento de equipamentos, de bens e prestação de serviços”, destacou ela. A preocupação da presidenta é que o país seja um “grande gerador de emprego para o povo brasileiro e emprego de qualidade”, frisou.

Jornal Midiamax