Geral

MS recebe equipamento para diagnóstico e classificação de leucemias

Um novo exame chega a Mato Grosso do Sul e isso é uma boa notícia para os portadores de leucemia. A imunofenotipagem por citometria de fluxo consiste na análise de proteínas de membrana celular para determinar qual tipo de leucemia o paciente possui e, assim, escolher o tratamento correto. O resultado fica pronto em vinte […]

Arquivo Publicado em 28/09/2011, às 17h50

None

Um novo exame chega a Mato Grosso do Sul e isso é uma boa notícia para os portadores de leucemia. A imunofenotipagem por citometria de fluxo consiste na análise de proteínas de membrana celular para determinar qual tipo de leucemia o paciente possui e, assim, escolher o tratamento correto.


O resultado fica pronto em vinte e quatro horas, fator que pode salvar a vida de quem não pode esperar. O equipamento foi adquirido recentemente pelo Laboratório Renato Arruda, em parceria com a AACC (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer), e está disponível para pacientes da rede pública de saúde e dos principais convênios.


O exame passa a ser oferecido pelo SUS (Sistema Único de Saúde), tornando-o acessível a toda a população. O acesso ao exame pelo SUS é mediado pelo Hospital Regional de Mato Grosso do Sul, Hospital Rosa Pedrossian, que possui um centro de referência em Onco-hematologia.


Dentre as vantagens de poder contar com este exame no Estado é o tempo para se obter o resultado, fator determinante para um melhor prognóstico do paciente. Para realizar o teste de imunofenotipagem, antes da chegada deste equipamento, era preciso se deslocar para outros estados, o que se tornava desgastante, especialmente para os pacientes já debilitados pela doença, além de ter um custo elevado.


“Esta precisão no diagnóstico vai nortear também o hematologista quanto ao tipo de quimioterapia que deve ser utilizado sem ter que esperar tanto”, comemora a doutora Eliane Borges de Almeida, responsável técnica pelos exames.


O exame é complexo. Uma amostra de sangue é colhida e , então, submetida ao equipamento. Por meio de um laser que estimula os corantes fluorescentes adicionados aos anticorpos do paciente, ele denuncia qual é o tipo de leucemia desenvolvido, além de diagnosticar linfomas, deficiência imunológica, entre outras patologias.


 O Laboratório Renato Arruda passa a ser o primeiro laboratório do estado a oferecer testes de alta complexidade. Os pacientes interessados em realizar o exame devem entrar em contato com o Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian para obter mais informações.

Jornal Midiamax