Geral

MPE abre 23 inquéritos civis para apurar supostas fraudes na prefeitura de Bonito

Inspeção feita pela CGU apontou falhas na aplicação de recursos federais no município; duas semanas atrás o prefeito de Aquidauana ficou afastado por quatro dias por suspeitas de improbidade administrativa

Arquivo Publicado em 26/04/2011, às 21h29 - Atualizado em 14/07/2020, às 11h43

None
122572242.jpg

Inspeção feita pela CGU apontou falhas na aplicação de recursos federais no município; duas semanas atrás o prefeito de Aquidauana ficou afastado por quatro dias por suspeitas de improbidade administrativa

O promotor de Justiça Thalys Franklyn de Souza abriu 23 – não 22 como noticiado antes – inquéritos civis para apurar os indícios de irregularidades na aplicação de verbas federais em Bonito, o mais importante paraíso turístico de Mato Grosso do Sul.

Inspeção conduzida no ano passado por técnicos da CGU (Controladoria-Geral da União) enxergou suspeita na aplicação de recurso federal enviado para o município para bancar projetos ligados aos setores da saúde, educação, turismo e programas agrários.

Indícios apontados pela fiscalização indicam que as supostas falhas tenham motivado um prejuízo de ao menos R$ 400 mil.

“… tendo em vista que o aludido relatório traz sérios indícios da prática de atos administrativos, este promotor de Justiça decidiu pela instauração de inquéritos civis visando a escorreita apuração nos fatos constantes (inquéritos civis de número 3 a 25/2011), em trâmite na 1ª Promotoria de Justiça de Bonito”, disse Franklyn Souza em ofício encaminhado ao advogado Luiz Manzioni, que pedido a investigação do MPE. 

O promotor informou ainda no ofício que encaminhou o desfecho da fiscalização da CGU para o Procuradoria Geral de Justiça, órgão capaz de abrir uma ação penal contra o prefeito da cidade, José Arthur de Figueiredo, do PMDB. Até agora, a Procuradoria não definiu a questão.

No início deste mês um grupo de moradores da cidade fizeram uma manifestação na Câmara dos Vereadores da cidade que pedia uma CPI contra o prefeito. Contudo, os parlamentares enterraram o desejo dos ativistas, negando o pedido. O prefeito nega irregularidades em suas contas.

Duas semanas atrás, por meio de meio de uma ação civil proposta pelo Ministério Público Estadual o prefeito de Aquidauana Fauzi Suleiman, do PMDB, foi afastado por suspeita de improbidade administrativa.

Quatro dias após a decisão judicial, o prefeito recorreu e o TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) o reconduziu ao cargo.


Matéria editada às 11h10 minutos para acréscimos de informações


Saiba mais em notícias relacionadas, logo abaixo


Jornal Midiamax