Geral

MPA libera R$522,5 mi para piscicultores de Anaurilândia e Bataguassu

As populações ribeirinhas e pescadores dos municípios da costa leste de Mato Grosso do Sul iniciam um processo de recuperação socioeconômico com a implantação de unidades demonstrativas de piscicultura em tanque rede. As discussões, iniciadas em 2007, começam a ser consolidadas com a liberação de recursos do Ministério da Pesca e Aqüicultura, convênio este apresentado […]

Arquivo Publicado em 25/02/2011, às 16h52

None

As populações ribeirinhas e pescadores dos municípios da costa leste de Mato Grosso do Sul iniciam um processo de recuperação socioeconômico com a implantação de unidades demonstrativas de piscicultura em tanque rede. As discussões, iniciadas em 2007, começam a ser consolidadas com a liberação de recursos do Ministério da Pesca e Aqüicultura, convênio este apresentado ontem (24) em Anaurilândia e no dia 18 de março em Bataguassu. As primeiras unidades devem produzir cerca de 100 toneladas de pescado atendendo mais de mil famílias. Novas unidades demonstrativas devem ser levadas aos demais municípios da região.

Para conhecer o projeto, representantes do grupo a ser beneficiado e lideranças do município de Anaurilândia participaram de uma audiência na tarde de ontem (24) na Câmara de Vereadores do município.

Na unidade de Anaurilândia os trabalhos já estão em fase de licitação para aquisição dos materiais e equipamentos. Serão investidos R$ 326,2 mil numa área de 600 m² onde devem ser construídos 14 tanques rede com capacidade de produção de 40 toneladas de pintado ao longo dos próximos dois anos. Toda produção será comercializada através do Programa Aquisição de Alimentos (PAA) e doada a entidades filantrópicas. Além da importante recuperação socioeconômica, o trabalho será voltado também para a pesquisa de viabilidade econômica para criação de pintados na represa da Usina Hidrelétrica de Porto Primavera (Sérgio Motta).

O convênio será gerido pela Prefeitura de Anaurilândia e terá acompanhamento técnico e capacitação realizada pela Câmara Setorial da Piscicultura, através da Seprotur, em parceria com a Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer).

Em Bataguassu o projeto será apresentado no dia 18 de março. Naquela unidade o projeto soma R$ 196,2 milhões para construção de unidades demonstrativas de tambacú, onde cerca de 570 pessoas devem ser atendidas direta e indiretamente.

SOBRE O PAA

Considerado como uma das principais ações estruturantes da estratégia Fome Zero, o PAA constitui-se em mais um mecanismo de apoio à agricultura familiar que permite ao governo federal comprar produtos alimentícios para doação à pessoas em situação de insegurança alimentas e nutricional, bem como formação de estoques estratégicos. Em Mato Grosso do Sul o PAA é operacionalizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) em parceria com a Agraer, e com o apoio de diversas entidades, a exemplo do Conselho Estadual de Desenvolvimento Rural Sustentável (CEDRS). Nos últimos dois anos o PAA contemplou mais de mil agricultores familiares em 17 municípios do Estado. Mais de R$ 4 milhões já foram investidos na compra de mais de 3 milhões de quilos de alimentos que beneficiaram mais de 168 mil pessoas.

Jornal Midiamax