Geral

Morre Lúdio Coelho, ex-prefeito da Capital

Um dos pecuaristas mais conhecidos de Mato Grosso do Sul, Lúdio Coelho morreu nesta terça-feira, aos 88 anos de idade. A saúde dele era delicada desde a semana passada, quando faltara a um evento para homenageá-lo

Arquivo Publicado em 22/03/2011, às 17h53

None
2028881227.jpg

Um dos pecuaristas mais conhecidos de Mato Grosso do Sul, Lúdio Coelho morreu nesta terça-feira, aos 88 anos de idade. A saúde dele era delicada desde a semana passada, quando faltara a um evento para homenageá-lo

O pecuarista e ex-prefeito de Campo Grande, Lúdio Coelho, morreu nesta terça-feira, aos 88 anos de idade. A informação foi confirmada pelo presidente da Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul), Chico Maia.

Lúdio estava internado desde o dia 17 no Proncor, em Campo Grande. Insuficiência cardíaca exigiu o tratamento do pecuarista, que sofria de diabetes. A provável causa da morte é falência múltipla de órgãos.

Durante o lançamento da 73ª Expogrande, em Campo Grande, o também ex-senador da República seria homenageado mas não compareceu ao local por recomendação médica. Lúdio foi representado pelos irmãos Magno e Edvirges.

Nascido em 22 de setembro de 1922 na Fazenda Bela Vista, em Rio Brilhante, Lúdio era filho de Laucídio Coelho e Lúcia Martins Coelho. Ocupou cargos de presidente do Banco Agrícola de Dourados, superintendência do Banco sul-mato-grossense Financial. Na política, foi prefeito de Campo Grande (1983-1985, pelo PMDB e 1989-1992, pelo PTB) e senador da República (1995-2003), também pelo PTB. Presidiu ainda o PSDB estadual.

Recebeu comendas de cidadão honorário das cidades de Campo Grande, Paranaíba, Coxim (MS),  Rondonópolis, Poconé (MT) e Uberaba (MG).

Como pecuarista, Lúdio participou da instalação do primeiro frigorífico do Estado e foi pioneiro na atividade de reflorestamento e integração lavoura-pecuária.

“Ele é um homem marcado pela dedicação, pela demonstração de trabalho e força do Mato Grosso do Sul, pela força de seu nacionalismo, pela luta em defesa da produção. Tivemos grandes momentos com Lúdio e aprendi muito com ele”, afirmou Maia, durante discurso no lançamento da Expogrande 2011. (Colaborou Paulo Xavier, Jeozadaque Garcia e Priscilla Peres. Atualizada às 15h30)


Jornal Midiamax