Geral

Milícias de Kadafi atacam jornalistas em Benghazi

Milicianos leais ao ditador líbio, Muamar Kadafi, atacaram jornalistas estrangeiros em enghazi, na noite de domingo, 20. Um carro passou atirando contra dois fotógrafos que voltavam para o hotel no qual estavam hospedados na capital rebelde. Eles iam com uma escolta. O guarda não teve escolha a não ser jogar-se no chão também. Em seguida […]

Arquivo Publicado em 21/03/2011, às 17h56

None

Milicianos leais ao ditador líbio, Muamar Kadafi, atacaram jornalistas estrangeiros em enghazi, na noite de domingo, 20. Um carro passou atirando contra dois fotógrafos que voltavam para o hotel no qual estavam hospedados na capital rebelde. Eles iam com uma escolta. O guarda não teve escolha a não ser jogar-se no chão também.

Em seguida francoatiradores abriram fogo de prédios próximos. Granadas explodiram perto dos fotógrafos – facilmente identificáveis pelo equipamento.

Os poucos jornalistas em Benghazi transferiram-se dos grandes hotéis para hotéis pequenos noutra região da cidade. Quando o confronto começou, todas as luzes do hotel no qual a reportagem do Estado está hospedada foram apagadas.

Os jornalistas trabalhavam juntos em uma sala na qual era possível ver a avenida onde acontecia o confronto. Primeiro as luzes da sala foram apagadas.

Os tiros e explosões se intensificaram, e os repórteres recuaram para um saguão interno. No total, o confronto durou cerca de 2 horas. Alguns dos guardas do hotel juntaram-se aos combatentes rebeldes na luta contra os milicianos de Kadafi.

No momento há pelo menos seis jornalistas estrangeiros e seis líbios desaparecidos no país. Os estrangeiros são: três da France Presse e um da Getty Images, a 30 km de Tobruk; dois da Al-Jazira, que estavam no oeste do país. Quatro enviados do New York Times foram libertados hoje.

Jornal Midiamax