Geral

Meirelles promete “máxima contribuição” como autoridade olímpica

O presidente do Conselho Público Olímpico e ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse que o posto de representante da União na Autoridade Pública Olímpica (APO), ocupado por ele a partir de hoje (17), é o mais adequado para dar sua “máxima contribuição” para o sucesso das Olimpíadas de 2016 “É com grande entusiasmo que […]

Arquivo Publicado em 17/06/2011, às 19h28

None

O presidente do Conselho Público Olímpico e ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, disse que o posto de representante da União na Autoridade Pública Olímpica (APO), ocupado por ele a partir de hoje (17), é o mais adequado para dar sua “máxima contribuição” para o sucesso das Olimpíadas de 2016

“É com grande entusiasmo que recebo o desafio de presidir o Conselho Público Olímpico, o órgão máximo da Autoridade Pública Olímpica. Como representante da União, presidirei o Conselho, responsável pela coordenação das ações das três esferas governamentais [federal, estadual e municipal] envolvidas na realização dos Jogos Olímpicos de 2016”, disse Meirelles por meio de nota.

Além dele, serão membros do conselho, o governador e o prefeito do Rio de Janeiro, cidade que, segundo Meirelles, terá sua realidade positivamente transformada a partir da implantação dos projetos. “Dentro do sistema de gestão das Olimpíadas, que ajudei a elaborar, a presidência do conselho é o posto mais adequado para que eu possa dar a máxima contribuição para o sucesso das Olimpíadas de 2016”.

O Diário Oficial da União publicou hoje o decreto designando-o para o cargo. A APO foi criada para coordenar a preparação para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de 2016. O seu formato se baseia em experiências semelhantes usadas em outras edições dos Jogos Olímpicos, como os de Sydney, na Austrália, em 2000, e de Barcelona, na Espanha, em 1992.

A criação da APO foi uma das garantias oferecidas pelo Brasil ao Comitê Olímpico Internacional (COI) durante a candidatura da cidade do Rio de Janeiro para sediar as Olimpíadas de 2016. Meirelles passou por sabatina no Senado e cumprirá mandato de quatro anos, permitida a recondução. Ele foi convidado para o cargo pela presidenta Dilma Rousseff.

Jornal Midiamax