Geral

Médico que especulou sobre saúde de Chávez deixa a Venezuela

Um médico que estimou em mais dois anos a sobrevida do presidente Hugo Chávez disse nesta sexta-feira que deixou a Venezuela, e fontes disseram que ele tomou essa decisão após a polícia revistar seu consultório. As declarações de Salvador Navarrete, que foi médico de Chávez durante vários anos, foram divulgadas no domingo na mídia mexicana, […]

Arquivo Publicado em 22/10/2011, às 00h58

None

Um médico que estimou em mais dois anos a sobrevida do presidente Hugo Chávez disse nesta sexta-feira que deixou a Venezuela, e fontes disseram que ele tomou essa decisão após a polícia revistar seu consultório.


As declarações de Salvador Navarrete, que foi médico de Chávez durante vários anos, foram divulgadas no domingo na mídia mexicana, motivando uma grande polêmica sobre a saúde do presidente esquerdista, que passou neste ano por um tratamento de câncer e pretende disputar um novo mandato em 2012. Nesta semana, Chávez disse estar curado.


Segundo Navarrete, o tumor abdominal que Chávez extraiu cirurgicamente em Cuba é “muito agressivo”, e por isso “a expectativa de vida pode ser de até dois anos.” Chávez não explicou publicamente qual tipo de câncer o acometeu, alegando se tratar de assunto privado, embora a doença cause grande inquietação nos meios políticos venezuelanos.


“Os acontecimentos posteriores (à entrevista) me obrigaram a sair do país com a minha família de maneira abrupta, algo que não desejava e que não tinha planejado fazer”, disse Navarrete em carta aberta publicada nesta sexta-feira.


Porta-vozes do governo se disseram fartos dos frequentes rumores sobre a saúde de Chávez. Cilia Flores, líder do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV, governista), qualificou a oposição de “necrófila” e “mórbida” por propagar o prognóstico feito por Navarrete sem ter examinado Chávez.


Colegas do médico disseram ter presenciado como a polícia irrompeu no consultório de Navarrete, em uma clínica da zona leste de Caracas, para vasculhar prontuários e computadores.


Uma fonte acrescentou que a casa de alguns parentes de Navarrete também foi revistada. O médico divide consultório com um irmão e um filho.


Não há confirmação oficial até agora sobre a atuação policial nas dependências da clínica. Na carta, o médico – qualificado como partidário de Chávez por alguns conhecidos – afirmou que “preocupa que o presidente e seu entorno político não conheçam a magnitude da sua enfermidade, já que ela foi administrada em completo hermetismo.”


“Os motivos que me impulsionam são a saúde do presidente e o impacto político que isso terá na Venezuela”, acrescentou. No consultório de Navarrete, suas secretárias disseram que ele suspendeu as consultas indefinidamente e transferiu os casos pendentes a colegas.


Regressando nesta semana da quarta etapa do tratamento quimioterápico em Cuba, Chávez disse estar curado e pagou uma promessa no santuário do Cristo de la Grita, no oeste do país. Especialistas ouvidos pela Reuters advertiram, no entanto, que é precipitado para Chávez dizer que ele está livre do câncer, pois geralmente a remissão só é declarada dois anos após o tratamento.

Jornal Midiamax