Geral

Marco Maia assume Presidência da República com viagem de Dilma e Temer

Pela primeira vez no governo Dilma Rousseff, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, segundo na linha sucessória, assume a cadeira como presidente em exercício. Com a viagem de Dilma à Caracas e com o vice-presidente Michel Temer em viagem ao exterior, Maia passou a despachar hoje (1º), na parte da tarde, no gabinete […]

Arquivo Publicado em 01/12/2011, às 18h25

None

Pela primeira vez no governo Dilma Rousseff, o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia, segundo na linha sucessória, assume a cadeira como presidente em exercício. Com a viagem de Dilma à Caracas e com o vice-presidente Michel Temer em viagem ao exterior, Maia passou a despachar hoje (1º), na parte da tarde, no gabinete da Presidência da República, que fica no terceiro andar do Palácio do Planalto.


Na agenda do presidente em exercício, estão compromissos assumidos em seu trabalho como presidente da Câmara. Ele receberá prefeitos de municípios do Rio Grande do Sul, terá reunião com deputados integrantes da Mesa Diretora da Câmara e um encontro com sindicalistas. Maia recebe ainda, nesta tarde, integrantes do PSD. Já na Câmara, o cargo de presidente foi assumido pela vice, deputada Rose de Freitas.


Maia fica no cargo mais alto do Executivo até a madrugada de domingo (3) e assume interinamente o cargo em meio à polêmica envolvendo o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, suspeito de ter se beneficiado de um esquema de desvio de recursos por meio de contratos com organizações não governais, no ministério, além da acusação do uso irregular de um jatinho alugado pelo empresário Adair Meira, durante viagem ao Maranhão.


Pela manhã, antes de partir para a capital da Venezuela, a presidenta Dilma questionou a recomendação feita ontem (30), pela Comissão de Ética da Presidência da República, de demissão de Lupi. A presidenta manteve o ministro no cargo e pediu informações à comissão.


Na manhã de hoje, ainda como presidente da Câmara, Maia tratou das denúncias contra Lupi. Ele pediu à Mesa Diretora da Casa uma sindicância para analisar a situação do ministro. Maia quer um levantamento da ficha funcional de Lupi para verificar as suspeitas de que o ministro, por cinco anos, acumulou dois cargos, o de assessor parlamentar na Câmara dos Deputados, em Brasília, e na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.


Jornal Midiamax