Geral

Maracaju recebe premiação nacional de merenda escolar em Brasília

Dos 1.082 municípios participantes, 22 foram selecionados para a premiação de melhor gestor eficiente da merenda escolar, que aconteceu em Brasília, nesta quarta-feira (23). Maracaju, na região sul de Mato Grosso do Sul é o único município premiado no Estado e concorreu na categoria Médias e Grandes Cidades no Centro-Oeste. Foram ainda premiados municípios de […]

Arquivo Publicado em 28/11/2011, às 18h19

None
115511348.jpg

Dos 1.082 municípios participantes, 22 foram selecionados para a premiação de melhor gestor eficiente da merenda escolar, que aconteceu em Brasília, nesta quarta-feira (23). Maracaju, na região sul de Mato Grosso do Sul é o único município premiado no Estado e concorreu na categoria Médias e Grandes Cidades no Centro-Oeste.


Foram ainda premiados municípios de Goiás, Rio de Janeiro, Paraíba, Tocantins Acre, Pará, Pernambuco, Minas Gerais, Santa Catarina, Mato Grosso, Ceará, Paraná e Bahia. Para o gestor municipal Celso Vargas, a premiação é um reconhecimento público de um projeto que beneficia a sociedade.


 “O prêmio mostra que estamos no caminho certo, mas o mais importante é que o resultado está na visível melhoria no aprendizado, diminuição da evasão escolar e, claro, saber que no futuro esses alunos estarão preparados para melhores oportunidades”, explica o gestor ao se referir aos mais de 5 mil alunos da rede municipal de ensino.


A ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campelo, representou a presidenta Dilma Rousseff no evento. “O projeto engloba vários setores: promove a valorização regional e a autoestima da população e, garante a permanência das pessoas na comunidade”, explica. Campelo ainda reitera a importância econômica do programa, ao trabalhar com a agricultura orgânica, de alto valor agregado ao mesmo tempo em que promove a saúde e a nutrição. “Nosso papel é ajudar a FAO a erradicar a fome no mundo”, conclui.


O Brasil hoje é uma referência em alimentação escolar, tanto que estiveram presentes no evento representantes de 20 países da América Central, Ásia, África e Europa, ávidos por conhecer e implementar em seus países as inovações brasileiras. “Nós estivemos em guerra até três anos atrás, a nossa educação ainda é muito básica, há muito a ser feito ainda e, eu levo para casa a experiência brasileira de englobar toda a comunidade para o desenvolvimento social e econômico local”, analisa a professora do Sri Lanka Subathira John.

Jornal Midiamax