Geral

Manifestantes denunciam crise na saúde de Três Lagoas com a falta de oncologistas

O grupo, formado na maioria por mulheres, protestou em frente à Câmara Municipal contra o caos no tratamento aos pacientes com câncer do município.

Arquivo Publicado em 22/06/2011, às 13h41

None
1866633586.jpg

O grupo, formado na maioria por mulheres, protestou em frente à Câmara Municipal contra o caos no tratamento aos pacientes com câncer do município.

Familiares e pacientes, em tratamento no Instituto
Auxiliadora de Combate ao Câncer (IACC), estiveram na manhã desta terça-feira
(21), em frente à sede do Legislativo Municipal de Três Lagoas. Com cartazes, o
grupo fez a manifestação para denunciar a falta de médicos especializados em
oncologia e a precariedade no atendimento aos pacientes com câncer, no
Município.

Eles foram encaminhados para o gabinete do
presidente da Câmara Municipal, vereador Nuna Viana (PMDB). O grupo, formado na
maioria por mulheres, informou ao parlamentar que muitos pacientes estão
passando mal, ou sem acesso à quimioterapia, por conta da demissão de dois
médicos que atuavam no IACC.

O grupo também procurou o Ministério Público,
devido à necessidade de acompanhamento e atendimento de pacientes. “Parou a
quimioterapia, tem pessoas em uma situação séria e difícil”, informou a
manifestante Vera Lúcia Marques.

Vera Lúcia disse que a Secretaria de Saúde já foi
informada da situação. “Os funcionários do IACC disponibilizam atendimento com
clínico geral aos pacientes, mas isso não resolve. Nossos familiares se recusam
a ser tratados com médicos não especializados”, desabafou.

Membros do grupo também afirmaram que o importante
é dar continuidade ao tratamento, não recomeçá-lo, uma vez que, teria sido
feita a contratação de um médico de Araçatuba (SP) para que o tratamento de
oncologia não seja interrompido. No entanto, o profissional não ficaria na
cidade.

Nuna se comprometeu a buscar informações sobre o
caso, junto à direção do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, bem como, na
Secretaria Municipal de Saúde. “Temos que ouvir os dois lados. Vamos convocar alguém
do hospital, da Secretaria de Saúde, para ver o que pode ser feito. Desde já
afirmo que os 10 vereadores irão até a prefeita para repassar a situação, para
que tudo seja resolvido o quanto antes”, enfatizou o presidente do Legislativo
Municipal.

O vereador Jorge Martinho (PMDB), durante o
protesto, entrou em contato com a diretoria do Auxiliadora. Segundo Martinho, o
hospital informou que irá convocar os pacientes que estes possam realizar o
tratamento de quimioterapia nesta quarta-feira (22).

Contudo, alegou que o setor de oncologia ainda
passa por mudanças e que ainda estão buscando soluções para a falta de médicos especialistas.

Jornal Midiamax