Um manifestante egípcio conseguiu na noite de sábado (20) para domingo (21) retirar a bandeira de Israel que era exibida diante do prédio que abriga a embaixada do país no Cairo, indicaram testemunhas.

No momento em que milhares de manifestantes estavam reunidos diante da embaixada para protestar pela morte de cinco policiais egípcios na fronteira entre Egito e Israel, ocorridas na quinta-feira, um deles subiu até o alto do prédio e retirou a bandeira.

Antes, o governo egípcio havia considerado insuficiente o pedido de desculpas feito por Israel depois da morte de cinco policiais próximo à fronteira entre os dois países, evitando mencionar a convocação para consultas de seu embaixador em Tel Aviv.

“A declaração israelense foi positiva em sua superfície”, mas não está à altura “da magnitude do incidente e do descontentamento egípcio com as ações israelenses”, segundo um comunicado do governo divulgado pela agência oficial Mena.

O governo egípcio insistiu em um calendário para uma investigação conjunta sobre o incidente proposto a Israel, segundo a Mena.

O ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, “lamentou” este sábado a morte de policiais egípcios e propôs “examinar” as circunstâncias do incidente com o Exército egípcio.

Os cinco policiais egípcios foram mortos na quinta-feira em uma troca de tiros entre as forças israelenses e homens armados depois do triplo ataque próximo a Eilat, na fronteira com o Egito, durante o qual morreram oito israelenses.