Geral

Mais de 700 mil profissionais estão aptos a votar nas eleições do Sistema Confea/Crea

Somam 706.888 os profissionais aptos a votar nas eleições do Sistema Confea/Crea, marcadas para o próximo 08 de novembro em todo o país. Para atender os eleitores, urnas eletrônicas e de lona, cedidas pelos Tribunais Regionais Eleitorais, serão disponibilizadas nas sedes dos Crea (Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia), Inspetorias, e da Mútua Caixa […]

Arquivo Publicado em 19/10/2011, às 20h03

None

Somam 706.888 os profissionais aptos a votar nas eleições do Sistema Confea/Crea, marcadas para o próximo 08 de novembro em todo o país.

Para atender os eleitores, urnas eletrônicas e de lona, cedidas pelos Tribunais Regionais Eleitorais, serão disponibilizadas nas sedes dos Crea (Conselho Regional de Engenharia Arquitetura e Agronomia), Inspetorias, e da Mútua Caixa de Assistência, escolas, associações e sede de empresas que concentram grande número de profissionais da área tecnológica.

Maria Christina Duarte, gerente de Tecnologia da Informação, do Confea (Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Agronomia), diz que cada estado da federação definiu a quantidade de urnas necessárias e que elas são cedidas pelos Tribunais Regionais Eleitorais. Ela lembra também que para cada urna eletrônica, haverá uma de lona, “caso haja alguma falha no sistema”.

Sobre a distribuição das urnas nos estados, Christina informa que a decisão é de cada Regional, e adianta, como exemplo, que no Norte, o Acre terá quatro urnas, todas a serem instaladas na capital.

No Nordeste, a Bahia terá 55 urnas, disponíveis inclusive no porto de Camaçari e na sede da Ford. No Centro-Oeste, Goiás que tem o maior número de eleitores da região, 15.781, contará com 61 urnas, enquanto que no Sul, o Rio Grande do Sul, terá 61 urnas para atender 41.877 profissionais aptos a votar.

Os três maiores colégios eleitorais do Sistema Confea/Crea estão no Sudeste. Minas Gerais, com 83. 272 eleitores terá 159 urnas. 30 delas na capital, três em Ouro Preto e quatro em Juiz de Fora, por exemplo. 370 urnas – 19 na capital – estão destinadas a atender os 210.465 eleitores de São Paulo, e no Rio de Janeiro 149 urnas de lona estarão disponíveis, inclusive, em universidades como a Santa Úrsula e a Veiga de Almeida, UERJ e Federal Fluminense, para atender 106.755 votantes.

A gerente da GTI adianta ainda que não foram liberadas urnas para o Pará (em razão do plebiscito sobre a divisão do Estado), Alagoas e Paraná (em função da mudança para o sistema biométrico a ser utilizado nas próximas eleições gerais do país e que está sendo feito por etapas sob o comando do TSE). No Amazonas e em Roraima, somente as capitais, Manaus e Boa Vista contarão com urnas eletrônicas.

Os Eleitores do Sistema profissional escolherão entre 158 candidatos, os que ocuparão as presidências dos Creas e do Confea, para a diretoria geral da Mútua, Caixa de Assistência, e para seis cadeiras do conselho federal nos estados do RJ, AC, PR, RR, SC e TO. O sétimo conselheiro federal representará as instituições de ensino do Grupo de Engenharia.

Do total, 90 profissionais se candidataram a presidente dos Creas, quatro para o Confea, e 51 para diretor da Mútua, enquanto 13 concorrem para para conselheiro federal.

Arquitetos

Com a criação do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), esses profissionais (cerca de 104 mil) terão eleições no dia 26 de outubro, com uma novidade: o pleito será realizado pela internet. Informações pelos sites www..cau.org.br e www.votaarquiteto.com.br

Jornal Midiamax