Parece que o nível de escolaridade dos políticos sul-mato-grossenses não interfere na hora da escolha dos candidatos a cargos públicos para os campo-grandense. Dos 21 vereadores de Campo Grande, 24 deputados estaduais e dos 11 representantes da bancada federal a maioria tem nível superior.

Na Câmara da Capital, 17 vereadores têm nível superior, um com nível superior incompleto, um tem ensino médio e outro ensino fundamental.

Já na Assembleia 20 deputados tem nível superior, um superior incompleto, dois com ensino médio completo, um com ensino fundamental. Dos representantes federais do Estado apenas um tem nível superior incompleto.

O Midiamax foi às ruas da capital morena e perguntou se os eleitores escolhem seus candidatos pelo nível de escolaridade. O resultado foi este: das 30 pessoas ouvidas apenas seis pessoas disseram que levam em conta o nível de escolaridade dos políticos.

O estudante universitário, Luiz Otavio Felipe, 20 anos, disse que não conseguiria votar em alguém que não saiba nem juntar as palavras direito. “Eu estou na faculdade faz dois anos, terei que estudar mais três anos para me formar. Tenho que ler inúmeros livros. Eu não posso ter uma pessoa que me representa que não tem nem ensino fundamental”.

Já a dona de Casa Elizeta Moreira da Cruz, 45 anos, explica que não se importa se o candidato tem nível superior ou não. “Se o político tiver estudo vai saber roubar mais se não tiver vai demorar um pouco ate ele aprender a roubar então tanto faz se tiver estudo ou não”, argumenta.

O funcionário público Rogerio Nunes Pereira, diz que avalia as propostas , o passado dos candidatos, se o político é honesto, os antecedentes , mas não se preocupa se o político tem nível superior ou não. Ele argumenta que para ter um cargo eletivo o político tem que ter no mínimo estudo para saber criar leis e defender os direitos dos cidadãos.

Para o engenheiro civil Marcelo Barros dos Santos, todos os políticos tem que ter ensino superior para conseguir criar leis e discutir sobre os assuntos pertinentes a população. “Os políticos tem que tem nível superior pelo menos para terem cela especial quando forem presos”, brinca.