Geral

Mãe denuncia que filho de sete anos sofre bullying em escola na Capital

Filho dela de sete anos de idade teria sofrido ataques frequentes de um colega de sala, de oito anos; caso atinge outros estudantes de idades parecidos e já foi levado para o Conselho Tutelar. Envolvidos no caso estudam num escola municipal

Arquivo Publicado em 19/06/2011, às 18h00

None
2035507938.jpg

Filho dela de sete anos de idade teria sofrido ataques frequentes de um colega de sala, de oito anos; caso atinge outros estudantes de idades parecidos e já foi levado para o Conselho Tutelar. Envolvidos no caso estudam num escola municipal

A dona de casa Simone Regina, 33 anos, afirma que seu filho G.O.F., de apenas sete anos, e outros colegas de sua sala estão sofrendo agressões físicas e verbais de um aluno de oito anos que estuda na mesma sala que eles. A situação pode ser classificada como um caso de bullying .

A mãe relata que, inclusive, a professora da turma do segundo ano da Escola Municipal Professor Nelson de Souza Pinheiro, Vila Corumbá (região da Vila Planalto), foi xingada e chutada pela mesma criança.

O filho de Simone relata que o colega faz baderna na sala com o que ele chamou de ataques de fúria. O menino destrói os próprios cadernos e dos colegas, xinga a professora, agride verbalmente e fisicamente e nos intervalos, além de bater também toma o lanche das outras crianças.

Na tarde de quarta-feira, 15, semana passada, Simone foi até a Delegacia Especializada de Proteção À Criança e ao Adolescente (DEPCA) denunciar o caso e pedir providências, porém foi orientada a procurar o Conselho Tutelar, já que se trata de questão envolvendo crianças de 7 e 8 anos.

“No conselho me disseram que era preciso juntar mais mães pra denunciar, mas como trabalham fiz um abaixo-assinado contando toda a situação que nossos filhos estão sofrendo”, diz.

O caso das crianças envolvidas na escola Professor Nelson Pinheiro fica a cargo do Conselho Tutelar porque o menor autor é menor de 12 anos. Se ele tivesse acima de 12, o encaminhamento seria a delegacia Especializada de Atendimento à Infância e a Juventude (Deaiji).

A mãe conta que começou a desconfiar que algo de errado estava acontecendo na escola porque o filho passou a falar palavrões em casa e ficar agressivo, atitudes não tomadas antes.

Além disso, a criança sempre levava lanche diferenciado para o colégio por ter problemas estomacais, mas há algum tempo vinha recusando.

“Perguntei por que não queria mais, mas por várias vezes ele dizia porque sim”. Depois ele contou o que estava acontecendo e eu procurei a escola, mas até agora não vi nenhuma atitude para que este menino pare de fazer isto com as outras crianças”.

Segundo Simone, para evitar que seu filho continue sendo agredido nos intervalos ela tem ido cuidá-lo para que possa lanchar tranquilamente.

“Quando ele volta pra sala não posso fazer mais nada porque não posso ficar lá dentro. Ela revela que a mãe da criança agressora disse para outra mãe de vítima que “iria acertar as contas com elas” por terem denunciado seu filho. Ainda de acordo com ela, na escola estuda um adolescente de 17 anos que é irmão do menino denunciado e ele também teria feito ameaças.

Respostas

A reportagem entrou em contato com a prefeitura de Campo Grande para saber se há conhecimento sobre o caso, já que a escola é municipal.

A resposta foi de que o aluno denunciado está recebendo orientação psicológica para mudar seu comportamento. O Midiamax também tentou um contato com a diretora da escola, Edir Ferreira, porém ela estava visitando salas de aula. O recado foi deixado na secretaria, mas até o fechamento da matéria não houve retorno.

Bullying

Segundo a enciclopédia livre Wikipédia, bullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, praticados por um indivíduo (do inglês bully, tiranete ou valentão) ou grupo de indivíduos com o objetivo de intimidar ou agredir outro indivíduo (ou grupo de indivíduos) incapaz (es) de se defender.


Também existem as vítimas/agressoras, ou autores/alvos, que em determinados momentos cometem agressões, porém também são vítimas de assédio escolar pela turma.


Um caso de bullying ocorrido em Campo Grande virou notícia nacional no mês passado (ver matéria em notícias relacionadas, logo abaixo).



Jornal Midiamax