Geral

Lúdio Coelho: Deputado diz que o País sofreu grande perda com morte de Lúdio

A morte do produtor rural, ex-prefeito e ex-senador Lúdio Coelho nesta terça-feira trouxe muita tristeza para todas as pessoas que o conheceram pessoalmente ou testemunharam os exemplos de sua vida, segundo o deputado federal Vander Loubet (PT-MS). “A perda é dolorosa e está sendo sentida por todo o País, não somente pelos sul-mato-grossenses”, acrescentou Vander. […]

Arquivo Publicado em 22/03/2011, às 19h44

None
1668314366.jpg

A morte do produtor rural, ex-prefeito e ex-senador Lúdio Coelho nesta terça-feira trouxe muita tristeza para todas as pessoas que o conheceram pessoalmente ou testemunharam os exemplos de sua vida, segundo o deputado federal Vander Loubet (PT-MS).


“A perda é dolorosa e está sendo sentida por todo o País, não somente pelos sul-mato-grossenses”, acrescentou Vander. “Ele era um dos principais nomes a representar Mato Grosso do Sul nos cenários brasileiros da política e da economia”.


Vander destaca que Lúdio Coelho soube entender e respeitar a diversidade democrática, mesmo sendo um dos remanescentes e ex-dirigentes dos partidos que serviram ao regime de 1964, como a Arena (Aliança renovadora nacional) e PDS (Partido Democrático Social). Lembra que Lúdio, antes mesmo de ser prefeito pela primeira vez (pelo voto indireto, em 1983, nomeado pelo governador Wilson Martins), sempre esteve no campo de diálogos e entendimentos com as forças de esquerda.


“E já na Prefeitura ele aproveitou em sua equipe pessoas de reconhecida capacidade técnica e política que militavam em partidos de esquerda, como o PCB, que inclusive apoiou sua indicação”, recorda.


Vander salienta a contribuição que Lúdio deu ao processo de construção das ideias de gestão democrática quando, na época de prefeito, estimulou e apoiou a participação das organizações comunitárias na administração municipal. Ele, inclusive, foi um dos padrinhos do I Congresso de Favelas de Mato Grosso do Sul.


“Éramos de partidos diferentes e nossas raízes ideológicas são distintas. Porém, mesmo de outra geração, conheço a história desse homem público que agora deixa o convívio terreno e ganha a acolhida de Deus, mas fica a sua memória e seus exemplos, semeados ao longo de uma existência digna”, encerrou Vander, que nesta quarta-feira, 23, deve fazer um pronunciamento na Câmara como forma de homenagear Lúdio Coelho.

Jornal Midiamax