Os resultados dos laudos periciais que saíram nesta quarta-feira (24) das macas apreendidas na casa do enfermeiro Jodimar Ximenes e do saco com ossos encontrados dentro da fossa não foram capazes de identificar se havia vestígios de sangue de Marielly Barbosa Rodrigues, 19 anos, que foi encontrada morta em um canavial na cidade de Sidrolândia ou se os ossos eram humanos ou não.
“O resultado saiu hoje e não foi possível identificar se esses ossos eram humanos ou não. Os vestígios de sangue encontrados nas macas também foram insuficientes para determinar se o sangue era de Marielly ou não”, afirma o delegado titular da Delegacia Especializada de Homicídios, Edilson José. 
Os laudos foram encaminhados nesta manhã para a promotoria de Sidrolândia.
O cunhado de Marielly está na Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf) e Jodimar em Sidrolândia.
Hugleice teria pagado ao enfermeiro Jodimar a quantia de R$ 500 para que ele fizesse aborto em Marielly.
O procedimento deu errado e ela acabou morrendo. Na versão do cunhado da moça, ele e Jodimar ficaram desesperados com a morte, colocaram o corpo da jovem em um veículo e depois o deixaram em um canavial. Os restos mortais foram encontrados 21 dias depois. (Colaborou Eliane Souza)