Geral

Juiz libera Marcelinho Paraíba de prisão por suposta tentativa de estupro

Marcelinho Paraíba foi liberado da prisão. Depois de ser detido acusado de tentativa de estupro, ele recebeu o alvará de soltura após uma análise do juiz Paulo Lacerda, da 5ª Vara Criminal de Campina Grande. A decisão é preliminar, mas vai deixar o jogador responder o processo em liberdade. “Nós [advogados] nem tivemos de pedir […]

Arquivo Publicado em 01/12/2011, às 16h12

None
1831425946.jpg

Marcelinho Paraíba foi liberado da prisão. Depois de ser detido acusado de tentativa de estupro, ele recebeu o alvará de soltura após uma análise do juiz Paulo Lacerda, da 5ª Vara Criminal de Campina Grande. A decisão é preliminar, mas vai deixar o jogador responder o processo em liberdade.


“Nós [advogados] nem tivemos de pedir nada. O juiz analisou os elementos da prisão e viu que não haviam indícios de estupro e nada que indicasse o crime. Além disso já saiu a decisão da Corregedoria da Polícia Militar de afastar o delegado do caso [irmão da suposta vítima]”, disse Marco Salles, um dos advogados do atleta do Sport.


Marcelinho Paraíba foi detido na manhã desta quarta-feira após ser acusado de tentar estuprar uma mulher de 31 anos em uma festa particular em Campina Grande. A Rosália de Abreu, que é irmã de um delegado local, teria sido agarrada e forçada a beijar o meia do Sport.


Os advogados de Marcelinho confirmam a festa, dizem que ele conhecia a suposta vítima e que tudo não passa de um mal-entendido. O jogador havia sido conduzido para a Penitenciária do Serrotão, em Campina Grande, mas não terá que passar sequer uma noite no local.


O incidente teria acontecido na madrugada desta quarta, em um sítio de Marcelinho. A festa pelo acesso do Sport atravessava a madrugada no horário do suposto crime. O irmão de Rosália, Rodrigo Rêgo, estava no local, mas, segundo os advogados de Marcelinho, teria saído no momento da confusão para comprar mais bebida.


Pela manhã, já na delegacia, Rodrigo se exaltou com os repórteres que foram perguntá-lo se ele teria atirado para o alto para assustar o jogador e seus amigos. A conversa foi registrada em um vídeo que se espalhou pela internet. O policial negou, chamou o grupo que acompanhava Marcelinho de “maloqueiros”, disse que eles portavam armas e que, apesar de não ter disparado, deveria ter “atirado na cara”.


No fim da conversa, irritado, ele chamou os repórteres de “imbecis”, deu tapas nos microfones e chegou a empurrar os jornalistas. Quando achou que a conversa não estava sendo registrada, disse que se o câmera filmasse a cena ele o iria “perseguir”. As imagens são da TV Borborema, afiliada do SBT na Paraíba.


Jogador concederá entrevista coletiva nesta quinta
Marcelinho Paraíba aproveitou sua liberação para entrar em contato com o presidente do Sport, Gustavo Dubeux, para dar versão do caso. O dirigente entendeu que foi feita uma armação com o jogador e anunciou uma entrevista coletiva na quinta-feira, às 15h, na Ilha do Retiro para o atleta prestar os esclarecimentos.


O Marcelinho entrou em contato e está descansando em sua residência. Fizeram uma armação com ele e amanhã, às 15h, será realizada uma entrevista coletiva. Não vejo motivos para ele não querer falar”, disse o presidente, em entrevista à Rádio Jornal.

Jornal Midiamax