Geral

Inaugurada primeira etapa do projeto de revitalização da Estação Ferroviária

A restauração da Estação Ferroviária, que inclui a preparação do local para a instalação do Centro de Documentação e Referência da Estrada de Ferro Noroeste Brasil (EFNB)/RFFSA, foi inaugurada pelo prefeito Nelsinho Trad nesta segunda-feira (19). “Este projeto de revitalização demonstra a preocupação da administração com o resgate do patrimônio, da arte e da memória […]

Arquivo Publicado em 21/12/2011, às 19h25

None
1488295071.jpg

A restauração da Estação Ferroviária, que inclui a preparação do local para a instalação do Centro de Documentação e Referência da Estrada de Ferro Noroeste Brasil (EFNB)/RFFSA, foi inaugurada pelo prefeito Nelsinho Trad nesta segunda-feira (19).


“Este projeto de revitalização demonstra a preocupação da administração com o resgate do patrimônio, da arte e da memória do município”, afirmou o prefeito.


Nelsinho aproveitou a ocasião para entregar ao Presidente Nacional do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Luis Fernando de Almeida, a segunda etapa do programa de restauração da Estação Ferroviária.


Na primeira fase do projeto foram realizadas reformas no Armazém Cultural, além da construção da sala multiuso (novo anfiteatro). Na segunda etapa está prevista a implantação do projeto museográfico e, na terceira, a criação do Parque da Esplanada.


“O Museu vai dispor de mobiliário, fotos e depoimentos dos ferroviários. Para a terceira etapa do projeto pretendemos implantar o Parque da Esplanada, que vai integrar a Orla Morena com a Orla Ferroviária, por meio de ciclovia e pista de caminhada”, adiantou a diretora-presidente do Planurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano), Marta Martinez.


Ela informou ainda que o município está reivindicando junto ao Ministério da Cultura R$ 15 milhões para a continuidade do programa, que prevê a revitalização do entorno da Estação.


O Diretor-Presidente da Fundação Municipal de Cultura (Fundac), Roberto Figueiredo, defendeu a criação do Centro de Documentação da EFNB. “Aqui, na estação ferroviária, está a memória do campo-grandense.


A chegada dos trilhos representou um momento único para a economia e a cultura da cidade. A documentação é fundamental para a preservação da nossa memória”, assinalou.


Recursos


A restauração da Estação Ferroviária faz parte do Plano Municipal de Revitalização do Centro. O recurso, estimado em R$ 2,6 milhões, é do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Cidades Históricas (Ministério da Cultura), viabilizado por meio do Iphan.


A contrapartida da prefeitura de Campo Grande foi a elaboração do Plano Geral de Uso e Ocupação da Esplanada da Ferrovia, do Parque da Esplanada e do Projeto Museográfico do Centro de Documentação e Referência da EFNOB/RFFSA.


História


O dia 14 de outubro de 1914 marcou a chegada dos trilhos da Estrada de Ferro Noroeste do Brasil (EFNOB) em Campo Grande. A iniciativa alavancou o desenvolvimento econômico e comercial da região, favoreceu o crescimento populacional, a chegada dos imigrantes e dos brasileiros provenientes de outros estados.


O Complexo ferroviário da NOB foi tombado em 2009 pelo Iphan/MS com a finalidade de transformar a área em um espaço de lazer e cultura, além, é claro, de proteger o patrimônio histórico, ambiental, arquitetônico e paisagístico representado pela ferrovia e seu entorno.

Jornal Midiamax