Geral

Homem que matou e estuprou criança de 10 anos pega 37 anos de prisão em Júri Popular

Celso Rodrigues Oliveira, 48, foi condenado nesta sexta-feiras em Júri Popular na cidade de Mundo Novo, a 37 anos e quatro meses pelo homicídio, seguido de estupro e ainda o vilipendio a cadáver e ocultação do corpo de Vitória Regina Dias Evaristo, 10, no dia 24 de outubro do ano passado

Arquivo Publicado em 24/09/2011, às 02h20

None
1350566354.jpg

Celso Rodrigues Oliveira, 48, foi condenado nesta sexta-feiras em Júri Popular na cidade de Mundo Novo, a 37 anos e quatro meses pelo homicídio, seguido de estupro e ainda o vilipendio a cadáver e ocultação do corpo de Vitória Regina Dias Evaristo, 10, no dia 24 de outubro do ano passado

Celso Rodrigues Oliveira, 48, foi condenado nesta sexta-feiras em Júri Popular na cidade de Mundo Novo, a 37 anos e quatro meses pelo homicídio, seguido de estupro e ainda o vilipendio a cadáver e ocultação do corpo de Vitória Regina Dias Evaristo, 10, no dia 24 de outubro do ano passado.

No dia do crime, Celso chamou a criança para tomar banho no rio e almoçar em uma fazenda próxima a cidade, onde seu irmão trabalha São Jorge, periferia da cidade.

Ao chegar ao rio, o homem abusou sexualmente da criança deu duas facadas em sua barriga e enterrou seu corpo à margem do córrego. Mesmo morta, o autor ainda continuou com o ato sexual.

Antes de morrer a menina ainda lutou contra o autor que ficou com o corpo arranhado, principalmente nas costas. Um jovem que se deslocava para Salto del Guairá, viu Celso junto com a criança numa bicicleta em um pasto que dá acesso ao rio.

Na época a polícia disse que o crime foi premeditado, já que o mesmo levou consigo a faca, embrulhada em um pano. Ao ser preso, Celso disse que era apaixonado pela criança desde quando ela tinha 5 anos de idade.

No dia do assassinato, Celso teria pedido a criança em namoro, proposta recusada por ela, que disse estar apaixonada por um adolescente de 14 anos.

O autor morava de favor nos fundos da casa dos pais da criança. O pedófilo era uma espécie de tutor, já que os pais da menor trabalhavam o dia inteiro, enquanto Celso que era catador de materiais recicláveis fazia seu próprio horário de serviço

Jornal Midiamax