Geral

Homem morre soterrado após desabamento em Corumbá

A casa fica na parte superior de uma área de encosta e foi atingida por volta das 15h, na alameda Boa Esperança, no bairro Cervejaria, próximo a escola Tilma Fernandes Veiga. Os bombeiros ainda tentaram reanimá-lo, mas sem sucesso.

Arquivo Publicado em 08/02/2011, às 20h51

None
1024422085.jpg

A casa fica na parte superior de uma área de encosta e foi atingida por volta das 15h, na alameda Boa Esperança, no bairro Cervejaria, próximo a escola Tilma Fernandes Veiga. Os bombeiros ainda tentaram reanimá-lo, mas sem sucesso.

Um homem identificado como Miguel Luiz do Nascimento, de 62 anos, morreu após parte da casa dele ter sido atingida pelo desabamento de um muro de arrimo em decorrência da forte chuva que caiu na tarde desta terça-feira, 08 de fevereiro, em Corumbá. A casa fica na parte superior de uma área de encosta e foi atingida por volta das 15h, na alameda Boa Esperança, no bairro Cervejaria, próximo a escola Tilma Fernandes Veiga. A vítima morreu soterrada. Os bombeiros ainda tentaram reanimá-lo, mas sem sucesso.


Os vizinhos relataram que ouviram um barulho e depois muitos gritos de socorro. Os populares correram para o local. Várias pessoas ajudaram e um rapaz de 26 anos foi retirado dos escombros. Identificado como Fabrício do Nascimento, ele foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o Pronto-Socorro Municipal. De acordo com o plantão do PS, o rapaz teve escoriações leves pelo corpo e está em observação.


“Quando retiramos o Fabrício, perguntamos a ele se havia mais alguém dentro da casa e ele informou que não. Depois, o Corpo de Bombeiros conseguiu localizar o corpo do Miguel. Acreditamos que ele tenha morrido porque sua cama ficava encostada na parede que veio abaixo, ou seja, toda a terra e muitas pedras caíram sobre ele enquanto dormia. Toda vez que chove é isso, é um tormento. Vivo nessa área há mais de 14 anos e chuva significa muito medo. Hoje, por exemplo, estou com muito medo de minha casa vir abaixo e acontecer a mesma coisa com alguém de minha família”, disse o vizinho Ênio Batista da Silva, 46 anos.


A Defesa Civil e engenheiros da Prefeitura fizeram vistoria no local e constataram que duas casas foram atingidas pelo desmoronamento do muro de arrimo. Em uma casa de alvenaria, vivia sozinho Miguel Luiz. Fabrício morava na casa ao lado, de tábua, junto com a mulher e dois filhos, que não estavam no local na hora do desabamento. O secretário municipal de Infraestrutura, Ricardo Ametlla, disse que as duas casas vão ser demolidas. Os moradores vão receber assistência do Município, que vai também confirmar se a família está incluída no programa habitacional Casa Nova.

Jornal Midiamax