Geral

Henrique entra, marca e garante ao São Paulo a liderança

O jogo estava arrastado. No máximo, morno. Terminaria num 0 a 0 sem muita graça. Mas aí, o técnico do São Paulo, Paulo César Carpegiani, resolveu ouvir as arquibancadas. A galera tricolor, insatisfeita com o resultado, queria mais e passou a exigir a presença do atacante Henrique, que estava no banco. O treinador atendeu. Em […]

Arquivo Publicado em 20/03/2011, às 22h55

None

O jogo estava arrastado. No máximo, morno. Terminaria num 0 a 0 sem muita graça. Mas aí, o técnico do São Paulo, Paulo César Carpegiani, resolveu ouvir as arquibancadas. A galera tricolor, insatisfeita com o resultado, queria mais e passou a exigir a presença do atacante Henrique, que estava no banco. O treinador atendeu. Em seu primeiro lance, o garoto, de 19 anos, tabelou com Marlos e marcou, garantindo o triunfo são-paulino sobre o Grêmio Prudente, por 1 a 0, neste domingo à noite, em Presidente Prudente. Esse golzinho solitário, garantiu ao São Paulo a permanência na liderança do Campeonato Paulista, com 31 pontos. Já o Prudente segue na última posição, com apenas nove pontos.


No primeiro tempo, emoção só no fim


São Paulo e Grêmio Prudente começaram o jogo fechados, sem se arriscar muito. O Tricolor tinha a posse de bola, mas não conseguia achar brecha para furar o bloqueio adversário, que obedecia a uma estratégia bem definida: se retrair, chamar o rival, tentar roubar a bola para encaixar um contra-ataque.


No entanto, o Prudente só conseguiu tirar seu plano da prancheta aos 35 minutos. Em saída rápida, Saldanha recebeu na direita e cruzou certinho para Eraldo, que entrava livre do outro lado. Bastava o camisa 9 bater de chapa, de pé esquerdo, para balançar as redes, pois Rogério Ceni já estava batido. O problema é que o atacante tentou de direita e acabou dando de canela. A bola, sem direção, passou longe do gol.


A primeira chance real de gol do jogo fez o São Paulo acordar. Com Marlos esperto, assumindo a armação das jogadas, o Tricolor respondeu aos 41. Juan arriscou um chute de fora da área. A bola desviou em Douglas e quase enganou Márcio, que conseguiu espalmar. O time da capital se animou. A essa altura, o Prudente não passava mais do meio de campo. Aos 42, foi a vez de Lucas tentar um tiro longo. A bola explodiu no travessão.


Era questão de ajuste fino na mira.


Torcida pede; Henrique resolve


O Grêmio Prudente voltou para o segundo tempo com sua marcação mais adiantada. O objetivo era sufocar as saídas de bola do São Paulo. Inicialmente, a estratégia deu certo. O time do interior começou a rondar a área adversária com perigo. No entanto, faltou poder de fogo. Embora se aproximasse do gol, o Prudente não conseguia ameaçar Rogério Ceni.


O São Paulo, aos poucos, foi se soltando. Aos nove minutos, um lance polêmico. Juan recebeu na esquerda e tentou cortar Ângelo, que vinha de carrinho e derrubou o adversário dentro da área. Os tricolores reclamaram pênalti, mas a arbitragem mandou a jogada seguir.


Como o time tricolor não conseguia arrematar jogadas, a torcida começou a pedir a presença do jovem atacante Henrique, que estava no banco. Inicialmente, eram gritos tímidos, que ganharam peso e ar de exigência aos 19 minutos, quando Willian José recebeu a bola livre na área e chutou torto, desperdiçando boa oportunidade.


Henrique entrou minutos depois, no lugar de Casemiro, e mostrou que a turma da arquibancada estava certa. Aos 29, após tabelar com Marlos, Henrique recebeu na entrada da área e chutou firme, de pé direito, abrindo o placar.


O gol acabou com as pretensões do Grêmio Prudente, que parou de atacar. O São Paulo teve tranquilidade para controlar o jogo e criar mais oportunidades. Acabou parando no goleiro Márcio, que fez boas defesas.

Jornal Midiamax