Um grupo de hackers invadiu o site da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) nesta terça-feira (08), o que atrasa o início da reunião que irá decidir sobre alterações nas regras de revisão tarifária das distribuidoras de energia.

O grupo, chamado “Movimento Diga Não à Belo Monte”, tirou a página da agência do ar nesta manhã, atrasando o início da reunião da diretoria colegiada da agência pe que decidirá, entre outros temas, sobre a taxa de remuneração de capital investido (Wacc).

Técnicos da agência estão trabalhando para colocar a página novamente no ar e não há previsão para o início da reunião.

A usina de Belo Monte, no Estado do Pará, terá 11,2 mil megawatts (MW) de capacidade instalada e seu projeto é liderado pela Eletrobras, com perto de 50% de participação do empreendimento. A Cemig e a Light também entraram no projeto com participação conjunta de cerca de 10 por cento na usina.

Atualmente, as obras estão em fase de montagem do canteiro provisório, com cerca de 1.200 funcionários trabalhando no local, segundo o CCBM (Consórcio Construtor Belo Monte).

No último dia 13 de outubro, a Dataprev – Empresa de Processamento de Dados da Previdência Social – foi surpreendida com um ataque de um cracker que se autodenomina na rede “@DonR4AUL o Hacker Beleza”, contra o Blog do Planalto.O cibercriminoso pichou o blog com uma mensagem contra a corrupção no país.

Em entrevista ao Convergência Digital, no final de outubro, o diretor-geral do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações, da Presidência da República, Raphael Mandarino, o país possui, hoje, 320 grandes redes, sendo que cada uma sofre, em média, quatro milhões de ataques/ano. Ataques mais perigosos – cerca de 2.100/por hora – são voltados para atingir Pesquisa e Desenvolvimento.