Geral

Guarda Municipal envolvida na morte de PM por PF não tinha competência para operação

Major Tony Audry Zerlotti, comandante da Guarda Municipal de Dourados, afirmou que a competência da corporação restringe-se apenas a defesa do patrimônio público e cuidar do trânsito desde que tenha convênio com o Governo do Estado.

Arquivo Publicado em 10/05/2011, às 14h00

None
113267658.jpg

Major Tony Audry Zerlotti, comandante da Guarda Municipal de Dourados, afirmou que a competência da corporação restringe-se apenas a defesa do patrimônio público e cuidar do trânsito desde que tenha convênio com o Governo do Estado.

O major Tony Audry Zerlotti, comandante da Guarda Municipal de Dourados afirmou que a competência da corporação restringe-se apenas a defesa do patrimônio público e cuidar do trânsito desde que tenha convênio com o Governo do Estado.


Zerlotti disse que a guarda municipal Zilda Aparecida Rodrigues Ramires quando participou do enfrentamento com o policial federal Leonardo Lima Pacheco não estava de serviço. Segundo o comandante Zilda está na casa dela.


A operação desastrosa que culminou com a morte do soldado da Polícia Militar, Sandro Álvares Morel e com ferimentos no também PM José Pereira de Souza e no federal Leonardo, conforme disse Zerlotti “foi uma atitude isolada dela”.


A corporação, segundo Zerlotti, já instaurou uma Comissão de Sindicância para apurar a conduta da guarda Zilda que foi afastada de suas funções.

Jornal Midiamax