Geral

Greve nos aeroportos já preocupa e deve causar transtornos em Mato Grosso do Sul

Possível greve dos aeroviários e aeronautas deve começar nesta quinta-feira (22), a partir das 23h, e finalizar apenas na noite do dia 25.

Arquivo Publicado em 20/12/2011, às 17h41

None
1060457503.jpg

Possível greve dos aeroviários e aeronautas deve começar nesta quinta-feira (22), a partir das 23h, e finalizar apenas na noite do dia 25.

A possível greve dos aeroviários e aeronautas, que deve começar nesta quinta-feira (22), a partir das 23h, e finalizar apenas na noite do dia 25, já preocupa quem vai viajar e quem trabalha no ramo em Mato Grosso do Sul.


O agente de viagens Paulo Victor dos Santos, 22 anos, conta que clientes ligam a todo momento preocupados com as viagens já marcadas. Ele disse que orienta os clientes que tem passagem marcada antes do início da greve para chegar com antecedência e evitar transtornos e se possível fazer o check-in na internet.


Segundo ele, um dos maiores problemas é a falta de informação. “A gente sabe o que lê na mídia. Falta informações mais detalhadas para nós podermos nos organizar e informar melhor os clientes”.


Outro problema apontado por Paulo Victor é a data escolhida para o protesto. “Fazer uma greve no fim do ano, perto do natal, época de fluxo, é um problemão”, diz.


Outra agente de viagem, Vanessa Pinori, diz que com certeza a data é crítica para a paralisação. “Não foi a toa que escolheram essa data, pois sabem que alguma coisa as Companhias terão que ceder pra evitar tanto transtorno”.


Quanto aos trabalhos da agência, Vanessa diz que a greve não vai exatamente atrapalhar as ações da empresa, já que eles são intermediários na venda de passagens aéreas, mas o suporte aos clientes vai exigir demanda.


“É claro que teremos que dar suporte ao nosso cliente no que for necessário caso ocorra cancelamento, atrasos, no caso os passageiros e as companhias são as mais prejudicadas, pois em caso de greve dos aeronautas que são pilotos, co-pilotos e comissários de bordo poderá haver atrasos das aeronaves, remarcação de bilhetes, reacomodação dos passageiros devido a atraso”.


Alívio


Marcell Borges, 31 anos, engenheiro de sistema, tem passagem marcada de Curitiba para Campo Grande nesta quarta-feira (21). Ele vem passar as festa com a família e se diz aliviado por ter passagem marcada antes do início da greve.


“Estou aliviado, ainda bem que minha passagem é para amanhã”, disse, pontuando que apesar da tranqüilidade acredita que o caos nos aeroporto já deva começar com pessoas tentando remarcar passagens.


O caso


A reunião de conciliação do TST (Tribunal Superior do Trabalho) desta segunda-feira (19) com representantes das empresas aéreas e funcionários terminou sem acordo. Assim, a classe mantêm a ameaça de iniciar a greve.


Os trabalhadores pedem reajustes de até 14%, mas as empresas oferecem apenas 3%. O impasse se arrasta há semanas e rachou o movimento sindical. Os sindicatos ligados à CUT e aqueles ligados à Força Sindical não sentam na mesma mesa para negociar com o Snea, o sindicato das empresas aéreas.


A CUT se dizia mais propensa a entrar em greve, enquanto os sindicatos ligados à Força Sindical apelaram ao Ministério Público do Trabalho com um pedido de conciliação.


Os sindicatos se comprometeram a manter 20% da categoria trabalhando durante a greve, segundo o twitter oficial do TST. Ainda segundo o tribunal, os funcionários das aéreas reivindicam reajuste de 10%.


Com informações da Folha.com

Jornal Midiamax