Geral

Greenpeace bloqueia último lance de transporte de lixo nuclear

O comboio de resíduos nucleares destinado ao depósito de Gorleben (norte da Alemanha) foi novamente interrompido por um grupo de ativistas do Greenpeace, que usaram uma caminhonete para bloquear a passagem. Quatro membros da organização ambientalista conseguiram burlar o cordão de segurança em torno dos 20 quilômetros de estrada e colocaram a caminhonete no meio […]

Arquivo Publicado em 28/11/2011, às 13h09

None

O comboio de resíduos nucleares destinado ao depósito de Gorleben (norte da Alemanha) foi novamente interrompido por um grupo de ativistas do Greenpeace, que usaram uma caminhonete para bloquear a passagem.


Quatro membros da organização ambientalista conseguiram burlar o cordão de segurança em torno dos 20 quilômetros de estrada e colocaram a caminhonete no meio da pista, com o propósito de paralisar pelo maior tempo possível a passagem do comboio.


Este foi o mesmo esquema utilizado em 2010 quando também conseguiram atrasar durante horas o transporte de resíduos a Gorleben.


O comboio chegou até Dannenberg (norte da Alemanha), a 20 quilômetros do depósito de Gorleben, na madrugada desta segunda-feira (28) após inúmeros protestos de ativistas, mais de 100h depois da saída da usina de Hague (França), a 1,2 mil quilômetros.


Dessa forma terminou o trajeto ferroviário e começa agora a fase final, por estrada, após um fim de semana marcado por bloqueios de ativistas.


Três homens e uma mulher atrasaram o trajeto do comboio no domingo durante quase 15h. Eles se acorrentaram a um bloco em formato de pirâmide na estrada e depois preencheram a peça com cimento. A Polícia precisou usar serras e perfuradoras para desmanchar a estrutura.


Anteriormente, um grupo de 200 jovens mascarados já havia enfrentado a Polícia na floresta do entorno do trajeto ferroviário.


Durante todo o fim de semana, os ativistas fizeram atos para impedir o transporte. O comboio partiu de Le Hague na quinta-feira com os contêineres carregados de lixo atômico das centrais alemãs e processados na usina francesa.


As autoridades alemãs mobilizaram 20 mil policiais para conter os protestos que há 20 anos acontecem na Alemanha a cada novo transporte de resíduos a Gorleben.


As ações de 2011 são os primeiras após a aprovação do blecaute nuclear da chanceler, Angela Merkel, após a catástrofe da central atômica japonesa de Fukushima.

Jornal Midiamax