Geral

Governo cria política de saúde específica para atender moradores do campo e da floresta

O Ministério da Saúde criou uma política específica para atender os povos do campo e da floresta, que englobam pequenos agricultores, trabalhadores rurais, assentados, quilombolas, ribeirinhos e moradores de acampamentos. A política do governo prevê o aumento do número de centros públicos de saúde para melhorar o atendimento do trabalhador rural e intensificar a prevenção […]

Arquivo Publicado em 02/12/2011, às 22h39

None

O Ministério da Saúde criou uma política específica para atender os povos do campo e da floresta, que englobam pequenos agricultores, trabalhadores rurais, assentados, quilombolas, ribeirinhos e moradores de acampamentos.


A política do governo prevê o aumento do número de centros públicos de saúde para melhorar o atendimento do trabalhador rural e intensificar a prevenção dos cânceres do colo do útero e mama que vivem no campo e nas florestas das regiões Norte e Nordeste. Também pretende monitorar problemas de saúde causados pela exposição aos agrotóxicos. A portaria foi assinada hoje (2) pelo ministro da Saúde, Alexandre Padilha.


Padilha também assinou, ontem, portaria que criou a Política Nacional de Saúde Integral de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) no Sistema Único de Saúde (SUS). A política dá acesso a técnicas modernas para a mudança de sexo, redução de problemas causados pelo uso prolongado de hormônios femininos e masculinos para travestis e transexuais, prevenção de câncer de mama e útero entre lésbicas e mulheres bissexuais e diminuição dos casos de câncer de próstata entre gays, homens bissexuais, travestis e transexuais, entre outras ações.

Jornal Midiamax