Fundação de Cultura lança o livro “Ecos – Contos Ilustrados” no Centro Cultural

A FCMS (Fundação de Cultura do Estado de MS) realiza nesta quarta-feira (7), o lançamento do segundo livro do escritor Arlindo Fernandez intitulado “Ecos – Contos Ilustrados”, às 19h30, no Centro Cultural José Octávio Guizzo. Ecos – Contos Ilustrados foi patrocinado pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, é um livro orgânico, visceral, […]
| 07/12/2011
- 20:41
Fundação de Cultura lança o livro “Ecos – Contos Ilustrados” no Centro Cultural

A FCMS (Fundação de Cultura do Estado de MS) realiza nesta quarta-feira (7), o lançamento do segundo livro do escritor Arlindo Fernandez intitulado “Ecos – Contos Ilustrados”, às 19h30, no Centro Cultural José Octávio Guizzo.

Ecos – Contos Ilustrados foi patrocinado pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, é um livro orgânico, visceral, ontológico. Seus contos são como fragmentos de um caleidoscópio primordial, que mistura o ínfimo e o transcendente, o eterno e o transitório, o real e o fantástico – numa viagem lúcida e lisérgica aos desvãos da alma. Uma viagem que obriga o leitor a transpor os limites da natureza humana e da própria linguagem para encontrar a si mesmo – ora como uma criança, um velho, um alienígena, um selenita, ora como um pajé, um andarilho, uma índia paraguaia ou Deus – pleno em sua diversidade.

“O real é inimaginável e também extraordinariamente mais fantástico e absurdo que a ficção. Ecos é uma viagem por outra dimensão, a mente humana. E por mais que possa parecer paradoxal é ficção que se utiliza das coisas reais, como a natureza, criaturas, pessoas e seus sentimentos. Os contos seguem de maneira aparentemente desordenada, como se estivessem caindo num vórtice, mas foram inspirados naquilo que sabemos, naquilo que interpretamos e o que somos neste Universo”, explica o escritor.

Arlindo Fernandez, 54 anos, é publicitário, cineasta, compositor, ilustrador, artista plástico, blogueiro e, principalmente, escritor. Nascido em Caarapó, em Mato Grosso do Sul, é um exímio domador de palavras e de estrelas – admira astronomia, física e matemática. Sua literatura, original e inventiva, é feita da mistura pouco convencional de um talento nato e muitas influências, do erudito ao popular: Juan Rulfo, Georg Trakl, Rainer Maria Rilke, Anna Akhmátova, Manoel de Barros, Stephen Hawkin,  Astor Piazzola, Tetê e Geraldo Espíndola (amigo e parceiro em algumas composições), tango, ópera, rock e ritmos regionais, passando pelo cinema russo e asiático.

Tudo isso mesclado com o linguajar, crenças, costumes, cerimônias e modo de vida dos ribeirinhos, ervateiros, bugres, índios e demais viventes que habitam as regiões pantaneiras e de fronteira com Paraguai e Bolívia.

Arlindo Fernandez escreveu o livro “O homem da Lua” (2008), foi também vencedor do Concurso de Contos Ulisses Serra (2009), promovido pela Academia Sul Mato-Grossense de Letras, com o conto “Polux e Castor”. Além disso, escreveu e dirigiu o filme “O poeta é um ente que lambe as palavras e se alucina” (2004) – sobre a obra de Manoel de Barros –, primeiro representante de Mato Grosso do Sul no DocTV. Alguns de seus contos também podem ser lidos no seu blog na internet: blogdadomestica.blogspot.com.

Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3317-1795 ou no Centro Cultural José Octávio Guizzo que fica localizado na rua 26 de Agosto, 453, entre as ruas Calógeras e a 14 de Julho.

Veja também

A página foi criada para dar mais transparência sobre publicidade eleitoral exibida por meio de todas as plataformas da empresa

Últimas notícias