Geral

Funcionários do Friboi denunciam explorações na jornada de trabalho

Trabalhadores do setor de desossa do Frigorífico JBS Friboi, de Campo Grande, procuraram o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados da Capital (STICCG), para denunciar explorações na jornada de trabalho. Segundo o sindicato, os trabalhadores estão sofrendo com excesso de jornada, coação, assédio moral e ameaça de demissão se não cumprirem a […]

Arquivo Publicado em 09/05/2011, às 12h09

None

Trabalhadores do setor de desossa do Frigorífico JBS Friboi, de Campo Grande, procuraram o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Carnes e Derivados da Capital (STICCG), para denunciar explorações na jornada de trabalho.

Segundo o sindicato, os trabalhadores estão sofrendo com excesso de jornada, coação, assédio moral e ameaça de demissão se não cumprirem a jornada irregular de trabalho estabelecida pela empresa.

A jornada de trabalho é de oito horas diárias, sendo 44 horas semanais e o piso salarial da categoria é de R$ 570,00 para auxiliares, segundo a tabela do ano passado, a negociação de reajuste para 2011 está parada. O Friboi não tem banco de horas e nem acordo de compensação de horas, de acordo com o presidente do STICCG, Vilson Gimenes Gregório.

Ainda de acordo com o sindicato, os empregados trabalham diariamente uma hora a mais para não trabalhar no sábado, porém estão obrigados a trabalhar também no sábado mediante ameaça de demissão.

O presidente Vilson, explica que entrou em contato com a direção do JBS Friboi sobre os problemas denunciados, porém como não obteve resposta, o próximo passo é levar a denúncia para o Ministério Público do Trabalho e à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego, para que atitudes sejam tomas.

A reportagem do Midiamax, tentou entrar em contato com a Assessoria de Imprensa do grupo JBS Friboi, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

Jornal Midiamax