Geral

Fla e Corinthians ganhariam mais de R$ 100 mi anuais, diz diretor do C13

O diretor executivo do Clube dos 13, Ataíde Gil Guerreiro, promete que Flamengo e Corinthians ganharão mais R$ 100 milhões por temporada se aceitarem a negociação conjunta proposta pela entidade na comercialização dos direitos de transmissão das edições de 2012 a 2014 do Campeonato Brasileiro. De acordo com Guerreiro, mentor do processo de licitação e […]

Arquivo Publicado em 12/03/2011, às 15h45

None

O diretor executivo do Clube dos 13, Ataíde Gil Guerreiro, promete que Flamengo e Corinthians ganharão mais R$ 100 milhões por temporada se aceitarem a negociação conjunta proposta pela entidade na comercialização dos direitos de transmissão das edições de 2012 a 2014 do Campeonato Brasileiro.

De acordo com Guerreiro, mentor do processo de licitação e conselheiro do São Paulo, o Flamengo receberia R$ 110 milhões por temporada. Já o Corinthians ganharia R$ 106 milhões. No triênio, os valores alcançariam R$ 330 milhões para os cariocas e R$ 318 milhões para os paulistanos.

Andrés Sanchez, mandatário do Corinthians, foi o primeiro e único a requisitar sua desfiliação do Clube dos 13. O Flamengo, presidido por Patrícia Amorim, anunciou que pretende negociar os direitos em separado, mas não manifestou o desejo de deixar a entidade.

Os dois clubes contam com as maiores torcidas do País e são os que mais recebem atualmente. Além da dupla, Palmeiras, Santos, Vasco, Botafogo, Fluminense, Cruzeiro, Grêmio e Coritiba também anunciaram que pretendem negociar os direitos de transmissão em separado.

Na manhã desta sexta-feira, a Rede TV!, candidata única, venceu a licitação ao oferecer R$ 1,548 bilhão pelo triênio. A Globo e a Record, a princípio, também manifestaram o desejo de participar da concorrência, mas resolveram deixar a disputa e negociam diretamente com os clubes.

No próximo dia 23, o Clube dos 13 anuncia os vencedores das licitações para TV fechada e pay-per-view. No dia seguinte, é a vez da categoria Internet e telefonia celular. Com todas as plataformas, a entidade espera superar a marca de R$ 1 bilhão por ano.

Jornal Midiamax