Geral

Falcão, pressionado, ganha apoio de Renato antes do Gre-Nal

Há duas semanas, Paulo Roberto Falcão ainda curtia os elogios decorrentes de seus primeiros jogos no Inter, enquanto Renato Gaúcho, no Grêmio, parecia mergulhar em um daqueles momentos que costumam resultar em fim de relacionamento. Em tão pouco tempo, girou a roda-gigante da Dupla Gre-Nal. E Falcão entra pressionado no clássico deste domingo, no Olímpico, […]

Arquivo Publicado em 14/05/2011, às 19h25

None

Há duas semanas, Paulo Roberto Falcão ainda curtia os elogios decorrentes de seus primeiros jogos no Inter, enquanto Renato Gaúcho, no Grêmio, parecia mergulhar em um daqueles momentos que costumam resultar em fim de relacionamento. Em tão pouco tempo, girou a roda-gigante da Dupla Gre-Nal. E Falcão entra pressionado no clássico deste domingo, no Olímpico, depois da derrota de 3 a 2 no primeiro duelo com o rival.


O técnico do Inter acumula duas pancadas fortes, ambas no Beira-Rio. Primeiro, caiu para o Peñarol nas oitavas de final da Libertadores; depois, veio a derrota para o Grêmio. As duas partidas quebraram a invencibilidade do treinador e jogaram o time colorado em contestações. Falcão, excetuada alguma tragédia, não corre o risco de demissão. Mas precisa de um bom resultado para não tumultuar de vez seu trabalho.


O comandante colorado vê a pressão como fator normal. E não vê necessidade de se defender.


– Eu sabia que estava saindo de uma situação de conforto (…).A pressão faz parte, embora eu sempre tenha debatido muito isso quando estava no lugar de vocês. Estando aqui, não vou falar mais do que isso, porque vai parecer defesa, e não tenho necessidade de me defender – disse Falcão.


Falcão retoma a carreira de técnico depois de quase duas décadas como comentarista. Não tem o mesmo tempo que Renato Gaúcho no cargo. O técnico do Grêmio, questionado sobre a situação do treinador vermelho, ofereceu apoio a ele.


– O treinador tem que ganhar muito. Tem uma responsabilidade enorme. Qualquer coisa é responsabilidade do treinador. Às vezes a vontade é de chutar o balde, mas a gente tem que se conter. É difícil. Mas o Falcão, como eu e outros, tem a vivência, vai aprendendo, ficando mais experiente. Mas tem pressão. Você não pode errar, porque vai ser cobrado. Eu, particularmente, vejo uma capacidade grande do Falcão como treinador – afirmou Renato.


O treinador gremista disse que está na torcida por Falcão. Mas só a partir de segunda-feira.


– Gosto muito dele, torço por ele como pessoa, mas a partir de domingo, porque domingo quero ser campeão – disse Renato.


O Grêmio está bem mais perto do título do que o Inter. Joga pelo empate e até por derrota por 1 a 0 ou 2 a 1 para ser campeão gaúcho. Os colorados precisam vencer por dois gols de vantagem – por um de diferença, só se for a partir do 4 a 3.

Jornal Midiamax