Geral

EUA fecham ao público consulados e embaixada no Paquistão

A embaixada e os consulados dos Estados Unidos no Paquistão foram fechados ao público “até nova ordem”, informou nesta terça-feira (3) o porta-voz da embaixada em Islamabad, um dia após a morte do líder terrorista Osama Bin Laden por um comando americano. A decisão envolve a embaixada dos Estados Unidos em Islamabad e os consulados […]

Arquivo Publicado em 03/05/2011, às 09h45

None

A embaixada e os consulados dos Estados Unidos no Paquistão foram fechados ao público “até nova ordem”, informou nesta terça-feira (3) o porta-voz da embaixada em Islamabad, um dia após a morte do líder terrorista Osama Bin Laden por um comando americano.


A decisão envolve a embaixada dos Estados Unidos em Islamabad e os consulados americanos em Peshawar, Lahore e Karachi, que ficarão fechados ao público até nova ordem”, incluindo para a emissão de vistos, revelou a sede diplomática.


“Permanecerão abertos apenas para assuntos e serviços urgentes, envolvendo os cidadãos americanos”, destaca a nota.


“Tomamos esta medida para preservar a segurança do público. Avisaremos ao púbico quando chegar o momento (de reabrir) e a situação será reexaminada regularmente”, disse à AFP Alberto Rodríguez, porta-voz da embaixada em Islamabad.


O presidente do Paquistão, Asif Ali Zardari, disse nesta segunda-feira (2), em um texto publicado no site do jornal Washington Post, que a operação que resultou na morte de Bin Laden, não teve participação das forças paquistanesas.


Em discurso logo após a ação, o presidente dos EUA, Barack Obama, destacou que a cooperação do governo paquistanês ajudou na localização do terrorista.


“É importante observar que a parceria  antiterrorista com o Paquistão nos levou a Bin Laden e ao complexo onde ele estava escondido”, disse Obama na TV. Zardari agradeceu as palavras do presidente americano em seu primeiro pronunciamento após a operação.


Segundo o presidente paquistanês, as autoridades do Paquistão não tinham conhecimento de onde estava Bin Laden. “Ele não estava em qualquer lugar que havíamos previsto que estaria, mas agora ele se foi”, declarou. “Embora a ação deste domingo não tenha sido uma operação conjunta, uma década de cooperação e parceria entre os Estados Unidos e Paquistão levaram à eliminação de Osama Bin Laden, que era uma contínua ameça ao mundo civilizado”, falou Zardari no texto.


A ação que resultou na morte de Bin Laden foi efetuada por forças americanas no Paquistão, na madrugada desta segunda-feira (2). Segundo um assessor da Casa Branca, ele estava armado e foi morto durante uma troca de tiros com as forças americanas.


A Casa Branca informou que ainda não decidiu se vai liberar ou não algum registro fotográfico que comprove a morte de Bin Laden.


O assessor da Presidência disse ainda que é possível afirmar “com 99.9% de certeza” que o homem morto numa mansão fortificada no Paquistão é Bin Laden e que documentos encontrados no local estão sendo examinados.

Jornal Midiamax