Geral

Estudantes venezuelanos tentam impedir show de Shakira

Universitários venezuelanos indicaram nesta segunda-feira (21) que tentarão impedir que o show da cantora Shakira, anunciado para o próximo domingo, seja realizado na Universidade Simón Bolívar, em Caracas. “Estamos aqui com uma postura clara de não permitir o concerto de Shakira nas instalações esportivas da USB”, manifestou à TV estatal um dos 20 estudantes que […]

Arquivo Publicado em 22/03/2011, às 16h09

None

Universitários venezuelanos indicaram nesta segunda-feira (21) que tentarão impedir que o show da cantora Shakira, anunciado para o próximo domingo, seja realizado na Universidade Simón Bolívar, em Caracas.


“Estamos aqui com uma postura clara de não permitir o concerto de Shakira nas instalações esportivas da USB”, manifestou à TV estatal um dos 20 estudantes que desde a última sexta dormem em frente à entrada do local.


A emissora disse que os universitários fazem parte do denominado “Frente pela proteção das instalações esportivas da USB”, cujos integrantes impedem a passagem dos caminhões carregados com o material necessário para montar o palco para a apresentação.


Os jovens indicaram que as autoridades da USB, situada nos arredores de Caracas, informaram a eles nesta segunda-feira que 11 dos manifestantes foram suspensos, enquanto é instaurado contra eles um processo administrativo por indisciplina, em que podem ser expulsos definitivamente.


“É uma medida para nos atropelar. Querem que deixemos nossa luta”, declarou o universitário José Macías, que ressaltou que o protesto “é pacífico” e procura “impedir que sejam destruídas as instalações esportivas” com shows deste tipo.


As autoridades universitárias e porta-vozes da empresa que organiza a apresentação anunciaram que comentarão o caso no decorrer da semana.


A cantora colombiana completa uma turnê por vários países sul-americanos, entre eles Brasil, Bolívia, Peru e Venezuela, para apresentar seu mais recente álbum, “Sale el sol”.


Shakira se reuniu na última semana com a presidente brasileira, Dilma Rousseff, a quem pediu apoio para a obra social da Fundação América Latina Solidária (Asas), organização sem fins lucrativos que tem por objetivo atender crianças de até seis anos de idade.

Jornal Midiamax