Geral

Estudantes se unem em protesto contra aumento da tarifa do transporte coletivo em Dourados

Vários estudantes das UEMS e da UFGD estiveram no terminal de transbordo de Dourados na manhã desta quarta-feira (27), para protestar contra o aumento da tarifa do transporte coletivo, que partir do dia 1° de outubro, ficará mais caro; de R$ 2,30, passará a custar R$ 2,50. O decreto será publicado no Diário Oficial do […]

Arquivo Publicado em 28/09/2011, às 14h28

None

Vários estudantes das UEMS e da UFGD estiveram no terminal de transbordo de Dourados na manhã desta quarta-feira (27), para protestar contra o aumento da tarifa do transporte coletivo, que partir do dia 1° de outubro, ficará mais caro; de R$ 2,30, passará a custar R$ 2,50.

O decreto será publicado no Diário Oficial do Município amanhã e de acordo com uma nota da assessoria de comunicação da prefeitura, divulgada no início da semana, a empresa responsável pelo transporte coletivo, “havia solicitado R$ 2,70, mas o prefeito vetou o valor. O ajuste autorizado é metade do índice solicitado e a Medianeira tem uma série de exigências a cumprir como contrapartida”.

Por meio de cartazes, os alunos reclamaram do novo preço da passagem, que passará a custar R$ 2,30 para o pagamento no cartão. Apesar de tudo, a prefeitura exigiu que fosse implantado um sistema temporal e além de novos horários de ônibus para a Cidade Universitária.

“A partir de sábado, o usuário do transporte coletivo que utiliza o cartão magnético para pagar a passagem poderá trocar de ônibus em qualquer ponto da cidade pagando apenas uma tarifa. Atualmente essa troca só pode ser feita no terminal de trasbordo. O usuário terá tempo médio de uma hora para trocar de ônibus sem precisar pagar outra passagem, mas para isso terá de respeitar algumas regras. Se pegar o ônibus no Jóquei Clube, o usuário pode, dentro do tempo médio de uma hora, descer em qualquer ponto do centro e pegar outro para o Água Boa, para o Parque Alvorada ou para o Jardim Flórida, por exemplo, pagando apenas uma passagem. Se pegar o ônibus para o mesmo sentido de origem, mesmo que seja dentro do tempo-limite, ele terá de pagar outra passagem.”, explica a nota da assessoria.

Jornal Midiamax