Geral

Estudantes de Dourados protestam contra aumento da tarifa do transporte coletivo

Depois do anúncio em nota da assessoria de comunicação de que o prefeito Murilo Zauith concedeu aumento da tarifa do transporte público municipal, que passará a partir deste sábado (1° de outubro), de R$ 2,30 para R$ 2,50, nesta quarta-feira (28) estudantes da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e da UEMS (Universidade Estadual de […]

Arquivo Publicado em 28/09/2011, às 18h55

None
271426552.jpg

Depois do anúncio em nota da assessoria de comunicação de que o prefeito Murilo Zauith concedeu aumento da tarifa do transporte público municipal, que passará a partir deste sábado (1° de outubro), de R$ 2,30 para R$ 2,50, nesta quarta-feira (28) estudantes da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados) e da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul) realizaram protesto contra o aumento na tarifa do transporte coletivo.


O protesto que começou logo no início da manhã desta quarta, se estendeu até a 13h30 e contou com dezenas de estudantes quer com palavras de ordem, distribuição de material informativo e abaixo-assinado movimentaram o terminal de transbordo do município.


Organizado pelo DCE (diretório Central dos Estudantes) da UFGD, o manifesto tomou corpo com a adesão de populares. Um senhor aposentado, disse enquanto assinava o ‘abaixo’: “O mundo só muda com os corajosos. Vocês são mais de cinco mil (nas universidades), mas só os corajosos estão aqui hoje”. Os acadêmicos receberam outras manifestações de apoio.


Segundo Leandro Pantana, um dos coordenadores do DCE da UFGD, o objetivo da manifestação dos estudantes é informarem a população sobre o aumento, que segundo ele é absurdo. “Em nossa opinião, esse aumento não vai ser destinado de forma alguma para a manutenção desses ônibus”, disse o acadêmico. Segundo ele a luta é “de certa forma contra a prefeitura, que tem a obrigação de oferecer transporte público e de qualidade para toda a população”.


Bruna Dávalo, também coordenadora do DCE da UFGD, afirma que o próximo passo é ir ao Ministério Público. Segundo Bruna os acadêmicos farão nesta sexta-feira (30) concentração no terminal de transbordo e devem seguir até o Ministério Público Estadual, onde serão recebidos pela promotoria. Segundo Bruna os estudantes fizeram ofício para a prefeitura em julho pedindo que fossem informados sobre o processo de decisão sobre o aumento da tarifa, mas não obtiveram resposta.

Jornal Midiamax