Geral

“Estamos superanimados com esse resultado do PIB”, diz Miriam Belchior

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, ficou muito otimista com a expansão de 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2010 comparada à de 2009. O resultado foi anunciado hoje (3). “Nós estamos superanimados com esse resultado, é um número bom para o país e bom para as pessoas”, afirmou Miriam, em entrevista à Agência […]

Arquivo Publicado em 03/03/2011, às 18h15

None

A ministra do Planejamento, Miriam Belchior, ficou muito otimista com a expansão de 7,5% do Produto Interno Bruto (PIB) de 2010 comparada à de 2009. O resultado foi anunciado hoje (3). “Nós estamos superanimados com esse resultado, é um número bom para o país e bom para as pessoas”, afirmou Miriam, em entrevista à Agência Brasil.

Segundo a ministra, o crescimento econômico do país tem ocorrido de forma ordenada. “Este é o desenho de um país que cresce de maneira equilibrada. Existe crescimento de renda, aumento do consumo das famílias, aumento dos programas de crédito e da inclusão social. Este é o país que a gente está construindo.”

Além disso, para Miriam, o resultado positivo não traz à tona o superaquecimento da economia. “Acredito que o próprio resultado do quarto trimestre (2010) aponta um crescimento um pouco menor. Trabalhamos com estimativa entre 4,5% e 5%. Isso indica que a economia não está superaquecida. É importante para o país estabilizar a economia”, avaliou. O crescimento do quarto trimestre foi de 0,7% do PIB ante o trimestre anterior.

Sobre o reajuste de 4,5% na tabela de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) de 2011, a ministra do Planejamento não quis entrar em detalhes. Em entrevista coletiva, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, confirmou o percentual e afirmou que o aumento vai gerar renúncia fiscal de R$ 1,6 bilhão.

De acordo com Mantega, a compensação deve ocorrer com ajuste de outro tributo ou anúncio de novo corte. “Estamos discutindo o assunto internamente e analisando qual a melhor maneira de aplicar isso. O anúncio deve ser feito proximamente, mas prefiro não antecipar a data”, esquivou-se o ministro.

Jornal Midiamax