Geral

Escritor de Brasilândia lança livro sobre o povo Ofaié em Campo Grande

Aconteceu no dia 2 de dezembro, sexta-feira, o lançamento do livro “O território Ofaié pelos caminhos da história”, de autoria do professor e pesquisador da UFMS, Carlos Alberto dos Santos Dutra que reside em Brasilândia-MS e acompanha a trajetória do povo indígena Ofaié desde 1986. O evento ocorreu no Centro Cultural José Octávio Guizzo, em […]

Arquivo Publicado em 04/12/2011, às 11h08

None

Aconteceu no dia 2 de dezembro, sexta-feira, o lançamento do livro “O território Ofaié pelos caminhos da história”, de autoria do professor e pesquisador da UFMS, Carlos Alberto dos Santos Dutra que reside em Brasilândia-MS e acompanha a trajetória do povo indígena Ofaié desde 1986. O evento ocorreu no Centro Cultural José Octávio Guizzo, em Campo grande-MS e foi realizado pela Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, sendo que o livro, de 416 páginas, capa dura e esmerada apresentação, teve o incentivo financeiro do FIC-Fundo de Investimentos Culturais do Estado.


Estiveram no evento, o Presidente da Fundação de Cultura do Estado, representando o Governador do Estado, Sr. Américo Calheiro, e o Sr. Edilson Aspet, Coordenador do FIC e diversos intelectuais e professores da Capital, pesquisadores e acadêmcos das principais universidades do Estado, militantes de organismos não-governamentais e lideranças políticas de Campo Grande-MS.


Em seu pronunciamento o autor falou da importância do lançamento do livro, uma vez que ele encerra 20 anos de pesquisa sobre a etnohistórtia de um dos povos mais antigos e tradicionais que habitaram e ainda habitam a margem direita do rio Paraná, vivendo hoje no município de Brasilândia, a Leste do Estado de MS. Também agradeceu de forma carinhosa e emocionada a presença de velhos companheiros de caminhada, indigenistas, professores e colegas advogados, que tem se dedicado ao estudo e a pesquisa em prol dos movimentos populares, em especial a causa indígena, dando visibilidade às lutas desses povos históricamente descondiderados e excluídos das decisões políticas e sociais dos governos ao longo de décadas.


Após o pronunciamento do autor, falou o Presidente da Fundação de Cultura de MS, Sr. Américo Calheiro, oportunidade em que ressaltou a contribuição que o FIC tem dado para o resgate da cultura e da história do Estado de Mato Grosso do Sul, em especial a história dos povos indígenas, com a produção de livros cada vez de melhor qualidade e fruto de pesquisas acadêmicas e de campo, o que revela a importância desta iniciativa de incentivo à produção nas diversos formas de expressão da cultura.

Jornal Midiamax