Geral

Encontro de negócios abre mercados entre empresas do Brasil e da Bolívia

Evento integrou a programação da Jornada MS Sem Fronteiras, em Corumbá (MS)

Arquivo Publicado em 01/12/2011, às 16h43

None

Evento integrou a programação da Jornada MS Sem Fronteiras, em Corumbá (MS)

Mais de cinqüenta empresas sediadas no Brasil e na Bolívia passaram a terça-feira, 29, em negociações no Centro de Convenções de Corumbá. O II Encontro Internacional de Negócios integrou a programação da Jornada MS Sem Fronteiras, realizada pelo Sebrae em Mato Grosso do Sul.


Seminário de Integração envolvendo autoridades políticas e líderes de entidades dos dois países, encontro internacional de jornalistas e o lançamento do estudo de fronteira estiveram entre as atividades do evento.


Pelo menos R$ 250 mil em negociações imediatas é a previsão dos organizadores da rodada, com base nas respostas dos empresários ao questionário de avaliação da rodada. Do total de participantes, 80% sinalizaram a possibilidade de estabelecer relações comerciais em curto e longo prazo.


A analista técnica do Sebrae/MS, Luana Nakasone, destaca que esta foi a primeira rodada de negócios que a entidade promoveu na fronteira com a Bolívia e a segunda entre dois países, a primeira edição do evento binacional foi realizada em maio na cidade de Ponta Porã. “Tivemos entre as participantes, micro e pequenas empresas que estiveram nas negociações com o Paraguai e agora buscam estreitar relações com as empresas bolivianas”, expõe.


O empresário de Naviraí, Marco Borella, obteve bons resultados em Ponta Porã. Em Corumbá, pôde conversar com outros possíveis novos clientes e fornecedores. “Nestes encontros, geralmente se estabelece uma primeira relação para vendas futuras. Trinta por cento dos contatos que fiz resultaram em vendas imediatas”, avalia.


Sua empresa, a D’ Marca, está aberta há dois anos e já atende a oito cidades do MS, e ao mercado do Rio de Janeiro e de Brasília. Com uma empresa boliviana, Marco conseguiu negociar os uniformes profissionais que sua microempresa confecciona. “Muitas oportunidades tem surgido nestes contatos, então, para início de 2012 pretendo trabalhar a adaptação da empresa para a exportação”, avalia.


Habituado a fornecer artigos em couro, como bolsas, carteiras, agendas, para empresas dos Estados Unidos, o boliviano de Santa Cruz de la Sierra, Humberto Matín, levou o catálogo de seus produtos para apresentar a possíveis compradores. “Estou tentando comercializar no Brasil, negociar com o país vizinho é muito mais vantajoso; tem a facilidade no transporte e a barreira da comunicação é menor pela proximidade do idioma”, avalia.


Entre os projetos de sua Marroquineria está a compra de maquinário para melhorar o acabamento das peças produzidas. “A conquista que buscamos é a redução da carga tributária, pois ao contrário do Paraguai, a Bolívia não faz parte dos países do Mercosul, que possuem acordo de livre comércio”, conclui.


Participar de rodadas de negócios para conquistar novos mercados, parcerias e clientes faz parte da estratégia de expansão da empresa Chácara Vó Ermínia, de Campo Grande. De acordo com o empresário Rui Murilo Galvanini, em todas as reuniões do Encontro Internacional, a empresa fechou negócios, “inclusive vamos fornecer produtos específicos para atender às necessidades do nosso cliente”.


O empresário conta que chegou a Corumbá um dia antes do evento para adiantar os contatos e visitas a possíveis clientes. “Talvez seja necessária uma permanência maior na cidade em vista de outras reuniões já previstas”, comemora. Segundo ele, “quem ainda não participou de uma rodada de negócios está perdendo muitas oportunidades”.


O projeto MS Sem Fronteiras, do Sebrae, conta com recursos do BID/Fomin para promover o desenvolvimento da região fronteiriça de Mato Grosso do Sul com as cidades de Pedro Juan Caballero, no Paraguai e Puerto Suarez e Puerto Quijarro, na Bolívia. Entre as entidades parceiras, estiveram presentes no evento representantes do Centro de Recursos de Investimento e Desenvolvimento (Cird), do Paraguai, a Câmara de Indústria e Comercio da Bolivia (Cainco), Fundacion Trabajo Empresa (FTE), Prefeitura de Ponta Porã, Prefeitura de Corumbá, Prefeitura de Ladário e Associação Comercial de Corumbá.

Jornal Midiamax