Geral

Em noite de Dedé, Vasco vira, goleia e está na semifinal da Sul-Americana

Sob o comando do zagueiro Dedé, o Vasco se recuperou da derrota de 2 a 0 no jogo de ida, virou a partida desta quarta-feira, em São Januário, e com a goleada de 5 a 2 sobre o Universitario-PER obteve a classificação para a semifinal da Copa Sul-Americana. Dedé, que teve a infelicidade de ver […]

Arquivo Publicado em 10/11/2011, às 01h53

None
624420996.jpg

Sob o comando do zagueiro Dedé, o Vasco se recuperou da derrota de 2 a 0 no jogo de ida, virou a partida desta quarta-feira, em São Januário, e com a goleada de 5 a 2 sobre o Universitario-PER obteve a classificação para a semifinal da Copa Sul-Americana. Dedé, que teve a infelicidade de ver a bola do segundo gol do time peruano desviar em sua perna direita antes de entrar, no início do segundo tempo, fez depois dois gols e deu o passe para o quinto, o de Alecsandro. Os outros foram feitos por Diego Souza e Elton, com Ruidíaz e Rabanal fazendo os da equipe peruana.


O adversário do Vasco na luta por uma vaga na final a princípio será o vencedor do confronto entre Universidad de Chile e Arsenal de Sarandí-ARG. Mas se o time argentino se classificar e também o Vélez Sarsfield-ARG, que pega o Santa Fé-COL, as duas equipes do mesmo país terão de se enfrentar. Neste caso, o rival será LDU-EQU ou Libertad-PAR.


O começo do jogo mostrou o Vasco com a intenção de abrir logo o marcador, mas a equipe confundiu velocidade com pressa e com erros de passes facilitava o sistema defensivo do Universitario. O gramado, com falhas, molhado antes da partida e “remendado” com areia, dificultava um pouco a ação do time que mais precisava criar, ou seja, o da casa.


Os jogadores das duas equipes demonstraram nervosismo e, com entradas duras e reclamações excessivas, em nove minutos o árbitro mostrou o cartão amarelo quatro vezes: duas para cada time (Nilton e Dedé, pelo Vasco, e Llontop e Flores, pelo Universitario).


Na base da pressão, o Vasco conseguiu pôr uma bola na trave, em toque de Elton após cruzamento da direita de Fagner, aos 9. Três minutos depois, o técnico Del Solar teve de substituir o zagueiro Galliquio, machucado, por Duarte. A postura do time peruano era a esperada: fechada, aguardando o momento de dar o bote num vacilo vascaíno. Mas o time carioca não saía do ataque e com boas jogadas pela direita, com Fagner e Eder Luis, criou outra boa chance com Elton e o lance do pênalti em Juninho, que Diego Souza converteu aos 23.


Até os 32, os peruanos não haviam organizado um contra-ataque sequer, mas no primeiro que deu certo, chegou ao gol de empate, com um belo toque de Ruidíaz que Prass não conseguiu defender. O gol desnorteou os vascaínos, que passaram a errar muito e a criar quase nada no ataque. Quando conseguia penetrar na defesa adversária, errava no último passe. Antes do fim da primeira etapa,que terminou em confusão entre os jogadores, a melhor chance surgiu em chute de fagner de fora da área que Llantop defendeu bem.


Antes de começar o segundo tempo, mais confusão


Ao voltarem a campo, os times foram informados que ficariam com um jogador a menos, pois González e Diego Souza foram expulsos por causa do tumulto no fim da etapa inicial. Mal a bola rolou teve outro entrevero, entre Diego Rosa e Mendoza e dois gols. O Universitario virou o jogo com Rabanla em chute que desviou em Dedé, aos 2, mas um minuto depois Elton, de cabeça, empatou de novo a partida.


Precisando vencer por três gols de vantagem, o Vasco se lançou ao ataque e numa tentativa de cruzamento da direita, o zagueiro Dedé deu muita sorte, Llontop engoliu um daqueles frangos antológicos e o time cruz-maltino voltou à frente no marcador: 3 a 2. Logo depois, aos 16, Rabanal agrediu Fagner e também recebeu o cartão vermelho, deixando o Universitario com nove jogadores em campo.


A partir daí, o jogo se transformou num ataque contra defesa. Uma defesa muito violenta, é bom que se ressalte. Mas o time de São Januário se mostrou valente e foi criando chances de marcar. E o quarto gol chegou aos 27, novamente com Dedé, desta vez de cabeça. O time peruano ficou bastante acuado, mas conseguiu uma solitária boa oportunidade numa arrancada impressionante de Morel, Renato Silva e Prass impediram que terminasse com a bola na rede.


No entanto, quem mandava e desmandava em campo era o Vasco, que mais na base da raça do que na técnica buscava o gol da classificação. E ele veio, mais uma vez com grande participação de Dedé, que deu o passe de cabeça para Alecsandro desviar a bola de Llontop, aos 37. A festa da torcida vascaína ficou completa e a equipe ainda teve outras chances para aumentar a vantagem, mas não foi preciso, o Vasco conseguiu o que precisava. Após o apito final, houve mais confusão, mas desta vez entre jogadores do Universitario e policiais, que entraram em campo.

Jornal Midiamax