Geral

Despejos por calote no aluguel caem ao menor nível desde 1994

O número despejos por causa da falta de pagamento de aluguel somou 1.166 ações em janeiro. Segundo levantamento do Secovi-SP (sindicato da habitação), divulgado nesta quarta-feira (16), esse é o menor número de processos desde janeiro de 1994, quando o número foi de 1.127. O número ainda é 5,3% menor do que o registrado no […]

Arquivo Publicado em 16/03/2011, às 16h46

None

O número despejos por causa da falta de pagamento de aluguel somou 1.166 ações em janeiro. Segundo levantamento do Secovi-SP (sindicato da habitação), divulgado nesta quarta-feira (16), esse é o menor número de processos desde janeiro de 1994, quando o número foi de 1.127.

O número ainda é 5,3% menor do que o registrado no mesmo mês do ano passado. Em comparação com o dezembro, quando houve 1.400 processos, houve redução do total de ações da ordem de 16,7%.

Do total de ações registradas no mês, a falta de pagamento motivou 911 (ou quase 8 em cada 10).

As ações ordinárias (que respondem por retomadas de imóveis para uso próprio, de familiares ou para reforma) ficaram com a segunda colocação, com 181 processos.

As renovatórias (de atualização compulsória de contratos comerciais) somaram 58 ocorrências. As ações consignatórias (movida quando há discordância de valores de aluguéis ou encargos) foram 16.

Roberto Akazawa, gerente do Departamento de Economia e Estatística do Secovi-SP, diz que, considerados todos os meses do ano, o total é o menor desde o período de julho a setembro de 2004, quando a Justiça estava em greve.

– Naquele ano, foram ajuizadas apenas 645 ações em agosto, 558 em setembro e 860 em outubro.

Jornal Midiamax