Geral

De volta aos treinos na prisão, Bruno pensa em se reapresentar ao Fla

A rotina de treinos no presídio Nelson Hungria, em Contagem (MG), foi estabelecida há um mês. Primeiro visando apenas à melhora física. Deu resultado. Bruno recuperou grande parte dos 12 quilos que tinha perdido nos primeiros meses de detenção. Nesta semana, ele foi autorizado a fazer atividade com uma bola profissional. Mesmo tendo no horizonte […]

Arquivo Publicado em 25/02/2011, às 15h37

None

A rotina de treinos no presídio Nelson Hungria, em Contagem (MG), foi estabelecida há um mês. Primeiro visando apenas à melhora física. Deu resultado. Bruno recuperou grande parte dos 12 quilos que tinha perdido nos primeiros meses de detenção. Nesta semana, ele foi autorizado a fazer atividade com uma bola profissional. Mesmo tendo no horizonte um júri popular por sequestro e cárcere privado, homicídio triplamente qualificado e ocultação de cadáver, ele imagina que, se obtiver um habeas corpus e responder em liberdade, tem chances de retomar a carreira profissional.


A presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, avisou que o considera página virada, mas ainda há um contrato em vigor até o fim de 2012. Por isso, de acordo com seu procurador, o goleiro, de 26 anos, sonha em se reapresentar no Ninho do Urubu.


– Há interesse de alguns clubes, mas no momento a gente pensa apenas na saída dele. No dia seguinte que isso acontecer, o Bruno se apresenta ao Flamengo. Ele tem contrato até 2012 e será estendido por todo o tempo que ficar afastado. O Flamengo pode rescindir, mas, como o valor é de R$ 20 milhões, acho que isso não vai interessar muito – afirmou o procurador do atleta, Victor Fernandes.


Em sua coluna no jornal “O Globo” desta sexta-feira, Renato Maurício Prado informa que um representante do Fluminense entrou em contato com pessoas ligadas a Bruno para que lhe fizessem uma proposta quando saísse da cadeia.


Na última semana, o procurador do goleiro esteve ao lado do advogado Robson Martins Melo no departamento jurídico do Rubro-Negro. No clube, comenta-se que o goleiro enviou duas cartas em setembro de 2010, quando estava detido no Rio: uma aos ex-companheiros e outra a um grupo de torcedores. Um emissário as pegou no presídio em Bangu, deixou que os destinatários lessem e posteriormente as queimou. Nos textos, ele agradeceu as demonstrações de carinho, pediu que não fosse abandonado e reiterou que o grande sonho era retornar ao Flamengo. Victor conta que a história é um pouco diferente:


– Não é permitido que um detento envie cartas assim. A única coisa que ocorreu foi que ele deu alguns recados e eu repassei aos amigos do Flamengo. O carinho dele pelo clube é muito grande.


Bruno, que está preso desde julho de 2010 e vai a júri popular, responde na Justiça por homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado, ocultação de cadáver e corrupção de menor. Outros três réus no processo também estão presos, entre eles o amigo Macarrão; o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola; e o primo do goleiro, Sérgio Rosa Sales. Em dezembro, a Justiça do Rio condenou Bruno a quatro anos e meio de prisão por por sequestro, lesão corporal e constrangimento ilegal, com base em uma queixa que Eliza Samudio tinha apresentado em uma delegacia meses antes de desaparecer.

Jornal Midiamax