Geral

Cruzeiro admite saída de Henrique após Libertadores

O volante Henrique pode estar com os dias contados na Toca da Raposa 2. O presidente do Cruzeiro Zezé Perrela admitiu que dificilmente o clube mineiro irá conseguir segurar o atleta após a disputa da Copa Libertadores da América. No início do ano, o Santos teria oferecido R$ 4 milhões de euros (R$ 11,5 milhões) […]

Arquivo Publicado em 16/03/2011, às 12h58

None

O volante Henrique pode estar com os dias contados na Toca da Raposa 2. O presidente do Cruzeiro Zezé Perrela admitiu que dificilmente o clube mineiro irá conseguir segurar o atleta após a disputa da Copa Libertadores da América. No início do ano, o Santos teria oferecido R$ 4 milhões de euros (R$ 11,5 milhões) por Henrique, mas o dirigente convenceu os investidores que detém os direitos econômicos do jogador a não negociá-lo.


“Só 25% (direitos) dele pertence ao Cruzeiro. Os investidores estavam querendo vender o Henrique, eu bati o pé, falei que não negociaria – era para o Santos – não liberaria enquanto não terminasse a Libertadores. Os nossos investidores estavam vendendo para outros investidores que tinham compromisso com o Santos. Eu falei que não liberaria. A partir do fim da Libertadores, se aparecer uma proposta que interesse aos investidores, não terei alternativa, até porque o Cruzeiro só tem 25%”, afirmou o presidente da equipe celeste.


Henrique foi convocado recentemente por Mano Meneses para servir a Seleção Brasileira no amistoso contra a Escócia, em Londres, no próximo dia 27. Por causa disso, Zezé Perrela acredita que o volante tenha se valorizado ainda mais.


“A proposta era de 4 milhões de euros, e acho que os investidores fizeram um grande negócio em não vender. Acho que os ajudei. O Henrique, com essa convocação, pode valer ao menos o dobro”, afirmou.


Henrique chegou ao Cruzeiro em 2008 indicado pelo então técnico Adilson Batista. No ano seguinte, um investidor parceiro do clube celeste adquiriu 100% dos direitos econômicos de Henrique por R$ 2,7 milhões junto ao Jubilo Iwata, do Japão. O Cruzeiro, no caso, teria direito a 25% do valor em futura negociação devido a visibilidade proporcionada ao jogador.

Jornal Midiamax