Geral

Corumbaense estreia com vitória no Campeonato Estadual

Em sua estreia no Campeonato Estadual de 2011, o Corumbaense Futebol Clube venceu neste sábado (12) o Águia Negra, de Rio Brilhante, por 2 a 1. O zagueiro Mateus, aos 12 minutos do primeiro tempo, e o atacante Eric, de pênalti, aos 44 da etapa complementar, marcaram para o Carijó da Avenida. O gol do […]

Arquivo Publicado em 13/03/2011, às 12h05

None

Em sua estreia no Campeonato Estadual de 2011, o Corumbaense Futebol Clube venceu neste sábado (12) o Águia Negra, de Rio Brilhante, por 2 a 1. O zagueiro Mateus, aos 12 minutos do primeiro tempo, e o atacante Eric, de pênalti, aos 44 da etapa complementar, marcaram para o Carijó da Avenida. O gol do time visitante foi marcado pelo lateral Tiago Silva aos 14 do segundo tempo. Além de garantir um bom início de campanha, superando um dos fortes favoritos a uma das vagas na fase seguinte, o resultado dá mais tranquilidade para o técnico Baianinho preparar o elenco visando o próximo compromisso, fora de casa, contra o Naviraiense, atual vice-campeão da competição.

Parte da torcida, que já estava desconfiada após a derrota no amistoso contra o Aquidauanense, não gostou de algumas alterações feitas pelo treinador durante o jogo e ameaçou algumas vaias. Só que a salvação do time veio justamento do banco de reservas. O jovem Neto, de apenas 18 anos, entrou aos 35 do segundo tempo no lugar de Evandro. Na primeira vez que recebeu pela meia-esquerda, ele invadiu a área e dividiu com o zagueiro. O juiz Gilberto Almeida marcou a penalidade máxima e expulsou o defensor. Eric, um dos melhores em campo, bateu no canto esquerdo do goleiro Fanini, que até foi na bola, mas não a alcançou.

Sufoco

Sem poder contar com o atacante Jean Batatais, contundido, e Emerson, ainda sem condições físicas, Baianinho colocou os irmãos Eric e Evandro na frente. Mais centralizado, este último fez bem a parede, segurando a bola para os atletas que vinham de trás e marcando presença na área adversária, mas pecou nas finalizações. Foram pelo menos duas chances jogadas para fora. Diferente do amistoso anterior, Eric atuou mais aberto, de frente para a zaga. Criou jogadas importantes e deu trabalho ao time do Águia Negra.

O meio-campo teve Adrianinho, principal responsável pela criação das jogadas ofensivas, além de Rafinha, Willames e Chiquinho. A defesa foi composta pelos laterais Alexandre e Renato, que atuaram bem na parte defensiva, mas apoiaram pouco, principalmente do lado direito. Paulo Tocantins e Mateus formaram a dupla de zaga, que apesar do gol, foi outro destaque da estreia. O goleiro Aylton pouco trabalhou e foi firme quando exigido.

No começo da partida, o Águia mostrou ousadia e tentou sufocar os donos da casa. O pequeno Diógenes, aos 5 minutos, dominou com estilo na entrada da área, deu um chapéu no marcador e, na cara de Aylton, chutou para fora. Passado o susto, o alvinegro se acertou e passou a dominar as ações. Aos 14, Adrianinho bateu falta para dentro da área e Mateus desviou para o fundo das redes. Foi o único gol do primeiro tempo.

Na volta do intervalo, Rafinha saiu para a entrada de Nelsinho. O Corumbaense ganhou mais altura e força no meio. Mas quem voltou melhor foi o Águia. Aos 12, o meia Gigio fez ótima jogada pelo meio e rolou para o lateral Tiago Silva entrar com liberdade pela esquerda. Ele chutou forte e igualou o marcador. A igualdade fez as duas equipes saírem mais para o ataque. Cansado, Adrianinho deixou o campo para a entrada de Julian, outra jovem promessa da cidade. A torcida não gostou da mexida e reclamou com o técnico.

O campo pesado por causa do chuva que caiu durante a etapa inicial dificultou a atuação do meia atacante, cuja característica é a velocidade e o drible curto. Empurrado pelo torcedor, que compareceu em bom número no Arthur Marinho, o Carijó seguiu na pressão, mas sem conseguir chegar muito próximo a área adversária. Aos 41, Neto, que havia entrado pouco antes, foi derrubado dentro da área e mudou a sorte do time da casa. O gol de Eric garantiu um bom início de Estadual ao alvinegro pantaneiro. Depois do apito final, os jogadores foram até o meio do campo e, de mãos dadas, agradeceram a torcida. O público pagante foi de 1.107 pessoas. A renda, R$ 8.682,00.

Jornal Midiamax