Geral

Corumbá tem 1 caso confirmado de dengue; são quase 40 notificações

Corumbá registrou 38 notificações de casos suspeitos de dengue somente em janeiro. Houve apenas uma confirmação laboratorial. Os dados da Vigilância em Saúde são de 31 de janeiro. Segundo a chefe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Grace Bastos, o índice está abaixo do registrado no mesmo período do ano passado. Os bairros que […]

Arquivo Publicado em 03/02/2011, às 11h58

None

Corumbá registrou 38 notificações de casos suspeitos de dengue somente em janeiro. Houve apenas uma confirmação laboratorial. Os dados da Vigilância em Saúde são de 31 de janeiro. Segundo a chefe do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Grace Bastos, o índice está abaixo do registrado no mesmo período do ano passado.

Os bairros que mais tiveram notificações no primeiro mês do ano foram o Cristo Redentor e Universitário, cada um com seis registros. O bairro Nova Corumbá teve cinco notificações e outras quatro no Popular Nova. O único caso confirmado da doença – transmitida pelo mosquito Aedes aegypti – foi no Centro, onde também ocorreram duas notificações.

“Em 2010, o índice de casos notificados era bem mais alto do que neste ano. Apenas um caso de dengue foi confirmado através de exame laboratorial e, acompanhando esses casos de suspeita, o Centro de Controle Zoonoses tem feito, nas áreas onde essas pessoas moram, o que chamamos de bloqueio mecânico, que é a vistoria da residência num raio de 150 metros de onde a pessoa mora, para identificarmos focos de procriação do mosquito da dengue, e combatermos a proliferação nesses locais”, informou Grace a este Diário.

A queda no percentual de registros da doença já foi percebida logo nas primeiras semanas do ano, quando a Secretaria Municipal de Saúde fez o primeiro Levantamento de Índice Rápido de Infestação de Aedes aegypti (LIRAa) de 2011, que apesar de revelar que o município se encontra em estado de alerta, com índice de 2,2% de infestação do mosquito na área urbana – quando o aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de até 1% – também demonstra, em comparação com os dados do ano anterior, queda de incidência, que foi de 3,1% na mesma época de 2010.

“Essa queda se deve ao contínuo trabalho que toda a Secretaria de Saúde está realizando. Não há interrupção nos serviços, nem época certa de atuação, eles são contínuos, o ano todo, seja de alerta, ou de combate. É importante frisarmos que os trabalhos também têm contado com diversas parcerias, públicas e privadas, além de que o principal aliado que temos é a população. Quanto mais as pessoas evitarem o acúmulo de lixo e mantiverem a limpeza nas casas e nos terrenos, estarão combatendo a proliferação do mosquito da dengue”, frisou Grace.

Trabalhos

Outro aliado no combate à doença em Corumbá é o Disque Dengue, que funciona da seguinte forma: por meio do número 0800-647-2255 (ligação gratuita), a população pode informar sobre casos suspeitos de dengue na cidade, inclusive com denúncias sobre focos do mosquito. O atendimento é feito por servidores da própria Saúde que disponibiliza uma equipe, com apoio de equipamentos necessários para as ações de combate à doença. O sistema funciona de segunda a sexta-feira, no horário comercial. Esse número também está à disposição, não apenas para denúncias, mas também para esclarecimentos à população em relação à doença ou combate.

A Secretaria mantém as ações de prevenção pela cidade, com limpeza de terrenos baldios e de imóveis fechados. No caso dos imóveis, os proprietários estão sendo notificados pela Vigilância Sanitária, que também realiza a limpeza do local. Em caso de reincidência, estas pessoas podem até mesmo serem multadas, conforme a lei complementar 102/2007, que prevê punições para quem coloca em risco a saúde pública.

Preocupação

De acordo com a Secretaria de Saúde do Estado, Mato Grosso do Sul registrou em janeiro de 2011, a primeira suspeita de dengue do tipo 4. O caso foi em Campo Grande. A preocupação com o vírus da dengue tipo 4 existe porque no Estado circulam apenas os tipos 1, 2 e 3. Já o tipo 4, que não aparece no Brasil há quase 30 anos, é um forte “candidato” a disseminar a doença.

Campanha Nacional

O Ministério da Saúde lançou a nova campanha de combate à dengue, que se utilizou de cenas reais de ações em andamento em todo o país para conter a proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue. O filme “Mobilização Geral 2011” tem 30 segundos de duração (com versões reduzidas de 15 e 10 segundos) e conta com a participação do ator José de Abreu. Parceiro do Ministério da Saúde, ele abriu mão do cachê e também faz a narração do spot de rádio, com 30 segundos de duração. As novas peças têm por finalidade divulgar o que os moradores de cada estado brasileiro estão fazendo para eliminar os focos do mosquito em suas comunidades. Nas imagens, população e agentes comunitários de saúde trabalham lado a lado em mutirões e orientando os moradores. Além do filme nas televisões e dos spots nas rádios, as peças podem ser conferidas no site www.combatadengue.com.br e no portal do Ministério da Saúde – www.saude.gov.br. Com informações do Ministério da Saúde.

Jornal Midiamax