Geral

Corumbá inicia ação de conscientização contra abuso sexual de crianças e adolescentes

Corumbá iniciou, na tarde desta terça-feira, 03 de maio, a Campanha Municipal de Combate e Enfrentamento à Violência e ao Abuso Sexual Contra Crianças e Adolescentes. A abertura foi realizada às 14 horas, no Centro de Convenções do Pantanal de Corumbá, pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania. “Queremos alertar a sociedade, todos os […]

Arquivo Publicado em 03/05/2011, às 21h49

None

Corumbá iniciou, na tarde desta terça-feira, 03 de maio, a Campanha Municipal de Combate e Enfrentamento à Violência e ao Abuso Sexual Contra Crianças e Adolescentes. A abertura foi realizada às 14 horas, no Centro de Convenções do Pantanal de Corumbá, pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania.


“Queremos alertar a sociedade, todos os movimentos, para os riscos que as crianças estão expostas. A campanha desenvolverá panfletagens em vários pontos turísticos da cidade, como hotéis, restaurantes, bares, barcos, além de levarmos a campanha até fronteira com a Bolívia. Outro ponto importante que será trabalhado durante os 15 dias de campanha, é o alerta nas escolas. Faremos palestras nas escolas municipais, estaduais e particulares. Queremos chamar toda a população para se alertar quanto a esse problema na sociedade”, explicou o secretário Municipal de Assistência Social e Cidadania, Haroldo Cavassa.


O secretário enfatizou que pela primeira vez a campanha de combate à exploração e abuso sexual tem uma programação vasta e se estende por mais de um dia. Em anos anteriores, a data, 18 de maio, era apenas lembrada em diversas ações que enfocavam o combate ao abuso.


“Toda a campanha foi idealizada através de dados que relatam esses crimes na cidade e no país. Sabemos, de acordo com o UNICEF, que o maior crime contra as crianças e adolescentes são os crimes de violência sexual. Esse é o principal enfoque de nossa campanha, ressaltando que temos uma peculiaridade em nossa cidade que é a fronteira”, argumentou o secretário.


A abertura do evento, contou também com a participação da Promotora de Justiça da Infância e Adolescência, Lívia Carla Guadanhim Bariani Bobadilla Garcia, que ressaltou a importância do papel da família. “O principal agrave do problema da exploração e abuso de crianças e adolescentes é a falta de conscientização. O disque 100 recebe várias denúncias. Quando, por exemplo, a Promotoria da Infância e Juventude de Corumbá recebe cinco denúncias de abuso, se uma é apurada, as outras são arquivadas por falta de provas, de testemunhas, falta conscientização das pessoas em se comprometer no auxílio à Justiça. Muitas vezes, as pessoas deixam de ajudar uma criança, de combater criminalidade por não querer se envolver no conflito. Um dos principais objetivos desta campanha é conscientizar que todos podem combater o abuso e a exploração das crianças e adolescentes. Os profissionais da área de saúde, de assistência social, devem alertar aos pais a cuidarem de seus filhos, a terem uma maior responsabilidade com as crianças e os adolescentes”, enfatizou a promotora em seu discurso.


Cronograma da campanha


A Campanha Municipal de Combate e Enfrentamento à Violência e ao Abuso Sexual contra Crianças e Adolescentes, tem uma programação que visa envolver toda a sociedade para a proteção infanto-juvenil na cidade.


Entre 04 e 06 de maio, ocorrerão as palestras, sempre a partir das 08 horas. Para os estudantes, será realizado um concurso de frases, previsto para os dias 09 e 10, com apoio da Secretaria de Educação. Para os dias 16 e 17 de maio está programada a distribuição de panfletos nas áreas de atuação das equipes dos CRAS, das Estratégias de Saúde da Família, bem como na fronteira com a Bolívia e na entrada da cidade, com apoio da Secretaria de Saúde, além de distribuição de faixas e cartazes nos ônibus, hotéis, barcos e pontos estratégicos com grande fluxo de pessoas.


O ponto alto será no dia 18 de maio, quando se celebra a data de combate à exploração e abuso de crianças e adolescentes. Para o encerramento, foi programada uma passeata pelas ruas centrais da cidade, com encerramento no Jardim da Independência, onde acontece a divulgação dos vencedores do concurso de frases.


18 de maio de 1973


Sequestrada em 18 de maio de 1973, Araceli Cabrera Sanches, então com oito anos, foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família capixaba. Muita gente acompanhou o desenrolar do caso, desde o momento em que Araceli entrou no carro dos assassinos até o aparecimento de seu corpo, desfigurado pelo ácido, em uma movimentada rua da cidade de Vitória. Poucos, entretanto, foram capazes de denunciar o acontecido. O silêncio da sociedade capixaba acabaria por decretar a impunidade dos criminosos.


O combate tendo como símbolo o dia 18 de maio foi criado em 1998, quando cerca de 80 entidades públicas e privadas, reuniram-se na Bahia para o 1º Encontro do Ecpat no Brasil. Organizado pelo CEDECA/BA, representante oficial da organização internacional que luta pelo fim da exploração sexual e comercial de crianças, pornografia e tráfico para fins sexuais, surgida na Tailândia, o evento reuniu entidades de todo o país. Foi nesse encontro que surgiu a idéia de criação de um Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto-Juvenil.

Jornal Midiamax