Geral

Combate a organizações criminosas realiza megaoperação contra sonegação em MS

Investigações ocorrem desde agosto e envolvem empresas de Campo Grande do interior do estado.

Arquivo Publicado em 09/11/2011, às 17h39

None

Investigações ocorrem desde agosto e envolvem empresas de Campo Grande do interior do estado.

Com investigações ocorrendo desde agosto de 2011, o GNCOC (Grupo Nacional de Combate às Organizações Criminosas) realiza nesta quarta-feira (9), das 8h às 17h, a Operação Nacional de Combate à Sonegação Fiscal 2011 em Mato Grosso do Sul.


Durante o período que antecedeu a operação, foram lançadas oito ações penais de sonegação fiscal, sendo duas empresas de Campo Grande e duas de Itaporã, uma de Ponta Porã, de Paranaíba, Bataguassu e Amambaí.


Apesar do descumprimento da lei, os empresários apenas deverão pagar o dinheiro sonegado. No decorrer das investigações, também pode haver identificação de estelionato, formação de quadrilha e contrabando.


A ação preventiva e repreensiva será realizada mutuamente em sete postos da PRF em cidades do interior de MS, com entrega de panfletos informando o malefício que a sonegação fiscal causa à população, já que a arrecadação do imposto não é feita e não volta para políticas públicas e investimentos sociais.


Se o empresário não registra entrada e saída das mercadorias, automaticamente não repassa a contribuição ao Fisco.


De acordo com a Receita Federal, em 2010, foi apreendido R$ 1 milhão em mercadorias contrabandeadas, que representa uma forma de sonegação, pois o proprietário não pagou os impostos necessários.


Na operação do ano passado foi registrado o valor de R$ 200 milhões em sonegação fiscal. Em 2011, o número está em R$ 100 milhões.


A operação é realizada em parceria entre o DOF (Departamento de Operações de Fronteira), Promotoria de Justiça de Crimes Contra a Ordem Tributária de Campo Grande, NUREP (Núcleo Operacional de Repressão ao Contrabando e Descaminho), Receita Federal, Superintendência Regional da Polícia Rodoviária Federal, NUPEI (Núcleo de Pesquisa e Investigação) da Receita Federal, DEDFAZ (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Defraudações, Falsificações e Fazendários), SAANA (Seção de Administração Aduaneira) da Receita Federal, Coordenação de Inteligência Fiscal da Superintendência de Administração Tributária e Superintendência de Administração Tributária.

Jornal Midiamax