Geral

Com fama de esporte ‘bruto’, Jiu Jitsu atrai adultos, mulheres e crianças

Campo Grande sedia seletiva para um torneio mundial da modalidade. Esportistas narram que o esporte não é violento e, sim, uma arte suave

Arquivo Publicado em 19/06/2011, às 16h00

None
1049546129.jpg

Campo Grande sedia seletiva para um torneio mundial da modalidade. Esportistas narram que o esporte não é violento e, sim, uma arte suave

Com a fama de ser um esporte violento e até mesmo bruto o Jiu Jitsu está começando a ficar cor de rosa e até atraindo as crianças desmistificando a ideia de ser um esporte que causa dor.


Isso ficou evidente na seletiva para o Campeonato Mundial que acontece neste domingo em Campo Grande. Ao menos 280 atletas estão inscritos, sendo que 12 são mulheres.


Para a atleta Vanessa Quevedo, 27 anos, que está no esporte há pelo menos um ano, as pessoas têm muito preconceito ao ver uma mulher no tatame. “Eu comecei a treinar faz uns seis meses, mas sempre acompanhei o jiu jitsu. Não é um esporte violento dá condicionamento físico”, explica.


Ela revela que vai competir em São Paulo e quer mostrar para a população que o esporte não é violento e que não é só para homens. “Em outras capitais muitas mulheres praticam essa modalidade esportiva. Eu quero mostrar que o jiu jiutsu não é bruto. Eu sempre convido as minhas amigas para praticar também”, brinca a atleta.


Familia no tatame


Já o policial militar ambiental Nis Roque, que é praticante da arte e treinador da filha Juliene da Silva Soares, disse que por recomendação médica ele e a família resolveram praticar o esporte.


“Uma fonodióloga falou que a minha filha tinha que praticar um esporte e acabei colocando ela no jiu jitsu e toda a família foi junto.Isso já faz uns sete anos”, argumenta.


O atleta Aldo Rodrigues, de apenas des anos, participa pela primeira vez de uma competição, e disse à reportagem que está lutando há um mês graças ao incentivo do tio que o levou a academia que pode competir hoje. “Eu sempre gostei do esporte e meu tio me levou para a academia. Eu estou gostando muito e nem estou nervoso para competir”, avalia.


O professor lutador e professor de Jiu Jitsu, Juan Pedro Gomes, conhecido como Cabeça, explica que é lutador há 12 anos e atua como professor há quatro anos. Ele afirma que qualquer pessoa pode praticar o esporte. “Tenho aluno novinho que está começando a andar até um senhor de 70 anos.Não é um esporte violento”, explica.


O presidente da Federação sul-mato-grossense de Jiu Jitsu Nilson Fernandes Pulgatti explica que o esporte não é caro, com apenas 250 reais você pode começar a treinar. “O jiu jitsu significa arte da leveza e não é violento, é um jogo de xadrez que você tem que pensar para poder imobilizar o seu adversário. Dificilmente você vai ver alguém saindo com um braço quebrado ou algo assim”, garante.


O professor Juan Gomes explica ainda que é o jiu jitsu é um esporte meio elitista, pois é um pouco caro com relação à mensalidade, mas com 200 reais você compra um quimono e já começa a praticar.


O atleta Jaime Selle, 51 anos, que treina há 12 anos, explicou que o esporte pode ser feito por todas as idades. Ele sustenta que começou a praticar quando levou o filho para uma academia. “Eu levei meu filho para treinar e eu ia todo dia assistir, o professor então me chamou e agora eu prático todos os dias”, argumenta.


Selle explica que tinha problemas no joelho quando começou a praticar o esporte e isso não o impediu. Ele lembra ainda que era uma pessoa “esquentada” e com o esporte ele conseguiu ficar mais calmo e ter autocontrole. “Se alguém me fechasse no trânsito eu já saia batendo no cara. Depois que eu comecei a praticar o jiu jitsu quando vejo briga já saio de perto.Sou mais calmo uma outra pessoa.”.


Seletiva


Nilson Fernandes Pulgatti, o presidente da federação, disse que essa seletiva é para escolher os melhores atletas para disputar o Mundial que acontecerá nos dias 14 a 17 de julho no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo.


Nilson destaca alguns atletas que são promessa de medalhas para o Estado.  São eles: Carlos Augusto, Matheus Godoi, Thales Leite, Ragael Brum e Ariadne que é a grande promessa feminina no esporte. Durante a seletiva estão sendo arrecadados alimentos não perecíveis para ser doado para uma instituição de caridade.


O presidente da federação afirmou ainda que se as pessoas quiserem conhecer mais sobre o esporte em Mato Grosso do Sul pode se informar por meio do site www.fjje.com.br ou pelo outro site WWW.sbjje.com.br.



Jornal Midiamax